Activated Magazine Online

Switch to desktop

O líder sábio e o insensato

Um bom executivo não é um chefe, mas um servo! Jesus não estava apenas tentando ensinar humildade aos Seus discípulos quando lhes disse: “Todo aquele que, entre vós, quiser tornar-se grande, seja vosso servo.”1 Um bom executivo não é um ditador. Ele escuta aos seus liderados. Quando quem está no topo não se comunica com os que estão na base, não consegue entender pelo que passam e nem suas dificuldades, o que leva a problemas!

Os líderes de qualquer nível precisam escutar aos que lhe são subordinados. Sim, o líder é responsável pela decisão final, mas isso não significa que é o único que pode ter ideias e que não precisa consultar os demais. Um bom executivo escuta as pessoas.

Os líderes devem ter as habilidades necessárias para traçar planos, perseguir metas, motivar os demais, ou não podem exercer a função de liderança. Um bom líder leva em consideração as sugestões daqueles que lidera, discute com eles as alternativas, envolve-os na escolha do curso de ação a ser adotado, delega a realização do trabalho e se limita a acompanhar o progresso. O trabalho do executivo é principalmente ver que as coisas avançam como deveriam, enquanto os outros recomendam, iniciam e, com certeza, realizam as várias ações.

Quase todo CEO ou presidente conta com conselheiros que o assessoram no que deve ser feito. Sabia que o próprio Deus trabalha assim? Convoca Seus principais conselheiros, Seus anjos e lhes pergunta: “O que acham que devemos fazer?” Então escuta às sugestões e, em Sua sabedoria, toma a melhor decisão.2 É bom lembrar que Ele não escuta somente aos conselheiros celestiais e anjos, mas também a nós.

Se o próprio Deus entende que não deve pensar por nós, é insanidade tentar tomar todas as decisões, pensar em todas as alternativas, dar todas as instruções e ainda por cima trabalhar na operação. Um líder não pode trabalhar sozinho!

Somente um novato, um despreparado, tenta mandar em tudo e em todos. Qualquer executivo esperto vai bombear o potencial das pessoas. Ele não tenta ser a bomba, ou a alavanca, ou a água, ou o balde. É apenas a mão orientadora que movimenta a alavanca para criar uma discussão produtiva, em que ele e os demais participantes possam se beneficiar das ideias e experiências uns dos outros.

Um líder sábio tenta manter as pessoas felizes, porque trabalham melhor se estiverem felizes, fazendo algo que gostam e querem fazer. Para ter uma equipe efetiva, seus membros precisam trabalhar juntos, escutarem uns aos outros, trocarem ideias, decidirem juntos e, então, cooperarem para realizar o que foi decidido.

Como no corpo humano, todas as partes são necessárias. Você precisa de cada unha, cada célula, cada órgão e cada membro.3 Todos são importantes, do aparentemente menos relevante ao que se mais destaca, por um motivo ou outro. Cada um tem seu papel, cada um é necessário e todos devem trabalhar em harmonia e cooperação.

Conversem, discutam, troquem ideias, compartilhem experiências, decidam juntos, unam esforços, cresçam juntos, trabalhem juntos e desfrutem juntos dos frutos de seu trabalho. Então, você será um líder sábio e um bom executivo.

* * *

A autoridade do líder cristão não é exercida pelo poder, mas pelo amor; não é força, mas exemplo; não é coerção, mas persuasão. A autoridade só está segura nas mãos daqueles que servem em humildade. — John Stott (1921–2011)

 

Jesus disse várias vezes: “Vem e siga-me.” Seu programa era “faça o que faço”, não apenas “faça o que digo”. Com Sua inteligência natural superior, Ele poderia ter feito algo que impressionasse todos, mas isso O teria distanciado de Seus discípulos. Ele caminhou e trabalhou com aqueles aos quais fora enviado para servir. — Spencer W. Kimball (1895–1985)

 


1. Mateus 20:26
2. Ver 1 Reis 22:19–22; Jó 1:6–12.
3. Ver 1 Coríntios 12:14–17.

David Brandt Berg (1919-1994) era filho da conhecida evangelista americana, Virginia Brandt Berg. Em 1968, juntamente com sua esposa e filhos adolescentes, iniciou um trabalho voltado para os jovens da contracultura em Huntington Beach, na Califórnia, o qual se expandiu, tornando-se o movimento missionário cristão internacional conhecido hoje como A Família Internacional (AFI)(Os textos escritos por David Brandt Berg usados na Contato são adaptações.)

 

Copyright 2017 © Activated. Todos os direitos reservados.

Top Desktop version