A Bíblia

O banquete do rei

Minha mãe tinha o hábito de preparar pratos especiais aos domingos. Lembro-me da mesa elástica armada em seu comprimento máximo no centro na sala, em frente à grande janela aberta, da comida deliciosa e da animação da conversa em família.

Preparando o cardápio

Os cristãos que desejem florescer em seu relacionamento com Deuse estejam interessados em crescimento espiritual devem reconhecer que ler e absorver a Palavra de Deus é de vital importância. É nas páginas da Bíblia que aprendemos sobre o amor de Deus pela humanidade, sobre a mensagem de Jesus e a viver em harmonia com Deus e com nossos semelhantes.

Alegria completa

Até os 15 anos, minha experiência com religião ou espiritualidade havia sido quase nenhuma. Sem entender muito o convite, concordei em fazer uma oração para aceitar Jesus no meu coração. Curioso sobre esse personagem que, com pouquíssimos recursos, havia rachado a história em duas, mas sobre o qual eu praticamente nada sabia, passei a ler Sua biografia nos evangelhos.

Nem sempre entendia, mas gostava. Por isso, lia mais. Procurei compreender melhor o contexto em que se deu Sua breve passagem pela Terra. Eram dias difíceis para os moradores de Israel, reprimidos pelo poderoso Império Romano, e as lideranças religiosas da época não foram nada favoráveis à mensagem e à obra de Jesus.

O Livro que me conhece

Nas duas vezes em que, quando criança, folheei a Bíblia que meu pai mantinha estacionada na estante, não gostei da capa sem cor, da falta de ilustrações, da letra miúda nem da linguagem complicada. Não entendi por que falavam tão bem daquele livro.

Eu tinha 15 anos quando, em uma conversa informal, um jovem um pouco mais velho que eu me falou de Jesus. Naquela noite, cheguei em casa impressionado não apenas com a mensagem que me pareceu ter um viés de não-conformismo, mas também com o fato de que, a convite do rapaz, repeti algumas frases que, segundo ele, serviriam para eu “aceitar Jesus”, uma ação que contradizia totalmente a minha personalidade contestadora e racionalista.

Preservar os marcos

Pouco depois do sismo e tsunami de Tohoku, em 11 de marçode 2011, li um artigo sobre os marcos de pedra que, há 600 anos, foram erguidos nos montes ao longo da costa, onde muitas comunidades haviam sido devastadas por tsunamis. A sinalização indicava até que ponto as ondas haviam chegado, em advertência aos que por ali viviam, para não construírem abaixo daquele nível.

Os marcos foram ignorados pelos grandes construtores modernos que fizeram suas edificações bem abaixo da linha de segurança, inclusive à beira-mar. Os engenheiros estavam confiantes que os seawalls ali construídos protegeriam as novas áreas residenciais e que resistiriam a qualquer tsunami. Infelizmente, estavam errados. As estruturas não bastaram e as únicas vilas que não foram arrasadas foram as construídas acima do nível delimitado pelos antigos marcos.

Combustível para crescer

O primeiro versículo bíblico que me lembro ter aprendido foi 1 Pedro 2:2: "Como crianças recém-nascidas, desejem de coração o leite espiritual puro, para que por meio dele cresçam.” Eu tinha um pouco mais de três anos à época e meu irmãozinho havia nascido fazia pouco tempo. Minha mãe usou a oportunidade para ensinar para nós, filhos mais velhos, que precisávamos da Palavra de Deus para nosso crescimento espiritual tanto quanto nosso irmãozinho devia mamar para crescer fisicamente. Lembro muito bem que me senti toda crescidinha e que gostei do versículo, mas minha pouca idade não permitiu que eu percebesse a profundidade da lição.

Enquanto crescíamos, mamãe não apenas nos ensinou a Palavra de Deus pela memorização das Escrituras e pelas histórias bíblicas que lia para nós à noite. Ela vivia sua fé e fazia a aplicação da Sua Palavra nas coisas que nos ensinava. Muitas das minhas primeiras memórias têm a ver com as explicações que me dava de algum princípio espiritual relacionado às nossas experiências cotidianas.

A palavra de Deus atemporal

É preciso distinguir os princípios e promessas universaise atemporais que encontramos na Bíblia das instruções e orientações dadas a certas pessoas para momentos ou situações específicas, sobre as quais lemos nas Escrituras. A Palavra atemporal de Deus consiste das passagens que se aplicam a todos, em todo lugar e que jamais mudarão. Vejamos alguns exemplos: “Deus é amor”1 é uma verdade imutável e das mais poderosas expressas na Bíblia. “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”2 é um princípio central da fé cristã e que jamais mudará. A totalidade do Sermão da Montanha e vários outros ensinamentos de Jesus são tão relevantes para nós hoje como foram para aqueles que os ouviram pessoalmente, quando Jesus os proferiu há dois mil anos.

A conexão entre a fé e a Palavra

Se alguém me entregasse um livro que fosse tão simples quanto a tabuada de multiplicaçãoe dissesse: “Aqui está a Palavra de Deus, em que Ele revela toda Sua vontade e sabedoria”, eu balançaria a cabeça e diria: “Não acredito. É fácil demais para ser uma revelação perfeita da sabedoria infinita”. A completa revelação da mente, vontade, caráter e essência de Deus tem de, forçosamente, incluir coisas difíceis demais para os iniciantes entenderem. E os mais sábios dentre nós não passam de iniciantes.
—R. A. Torrey

<Page 2 of 4>
Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.