O mais improvável sucesso

O mais improvável sucesso

O livro “Disciple Making: Training Leaders to Make Disciples” (Tradução livre: “Discipular: a capacitação de líderes a fazer discípulos”)1 cita um relatório imaginário enviado para Jesus pela empresa Jordão — Consultoria em Gestão, com sede em Jerusalém, detalhando suas avaliações sobre os doze nomes que Jesus submetera para análise.

Prezado senhor,
Obrigado por nos enviar os currículos dos doze candidatos para as posições de gestão em sua nova organização. …
A opinião de nossa equipe é que a maioria dos candidatos carece da formação, educação e aptidão vocacional para o tipo de empreendimento ao qual V.Sa. se propõe. … Recomendamos que continue sua busca por pessoas com experiência e capacidade comprovadas na área de gestão.
Simão Pedro apresenta baixo quociente emocional (QE) e temperamento explosivo. André se mostra absolutamente desprovido de qualidades de liderança. Os dois irmãos, Tiago e João … manifestaram buscar seus interesses pessoais em detrimento à lealdade devida à empresa. A atitude questionadora de Tomé é potencialmente enfraquecedora da moral da equipe. Entendemos ser nosso dever lhe informar que o nome de Mateus consta na lista negra da Agência de Desenvolvimento Empresarial da Grande Jerusalém. Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu dão provas de terem inclinações radicais e um caso grave de transtorno bipolar do humor.
Um dos inscritos, porém, apresenta grande potencial, por reunir várias habilidades e competências, relacionar-se bem com as pessoas, ter excelente senso comercial e bom trânsito nas esferas de comando da sociedade. Trata-se de um jovem motivado, ambicioso e responsável. Recomendamos que Judas Iscariotes seja contratado para o cargo de vice-presidente executivo e controlador da organização.

É mais ou menos isso— pensei ironicamente, julgando que a mesma avaliação caberia a muitos outros personagens bíblicos.

O cara que devia libertar os hebreus da escravidão no Egito e os conduzir à Terra prometida, Moisés, foi criado na casa do rei, com todas as vantagens e educação que o dinheiro podia comprar, mas jogou tudo pelo ralo, tornou-se foragido e foi trabalhar como criador de ovelhas no deserto, onde morou até os 80 anos, ou seja, um óbvio fracasso.

Há também o caso de Davi, o caçula de uma prole numerosa, o que em si já não é um começo nada promissor. Mesmo depois de ser indicado pelo profeta Samuel como o próximo rei de Israel, Davi voltou a cuidar de animais, o que gerou um certo anticlímax.2 No capítulo seguinte, lemos que foi promovido a entregador de marmitas, mas no primeiro dia de serviço se envolveu em uma briga com um sujeito de três metros de altura e fortemente armado. O jovem decide enfrentar o gigante com pedras e, por ter mais sorte que juízo, acerta o sujeito em uma pedrada letal.3 Depois disso, torna-se criminoso, líder da maior quadrilha do país,4 cujos serviços vendeu para uma belicosa nação vizinha, formando assim um grupo de mercenários. Ao término desse ciclo, dão início a uma guerra civil em seu próprio país.5

Com o tempo, Davi se torna rei, é deposto por um de seus filhos e banido da capital até ser resgatado por seu sobrinho.6

O herdeiro do trono de Davi, Salomão, é o primeiro a reconhecer sua incapacidade de sequer falar em público.7 Deus quebra o galho do jovem monarca e lhe concede sabedoria instantânea, uma dádiva que parece não ter alcançado sua vida familiar. Entre esposas e concubinas, Salomão acumulou mil mulheres no seu harém, uma população que impõe muitas demandas ao regente, competindo por sua atenção com os assuntos do reino, o qual passa a ir morro abaixo.8

Os autores da avaliação dos discípulos provavelmente diriam o seguindo dessas outras personagens bíblicas:

Moisés: “Idade avançada demais para agregar valor ao empreendimento. Apesar de ter tido um bom início de carreira, envolveu-se com atividades subversivas, provavelmente devido a uma forte crise de meia-idade e fugiu da cidade. Dedicou-se 40 anos à empresa do sogro, na qual não demonstrou ter qualquer habilidade de liderança. Recomendamos alguém mais jovem.”

Davi: “Não passa de um jovem atrevido. Dedica-se mais à música que à carreira. Já foi líder de milícia e mercenário. Recomendamos alguém menos volátil.”

Salomão: “Jovem, inexperiente, não dispõe de habilidades de comunicação e mostra uma fraqueza para promiscuidades. Tudo indica que desviou grande volume de recursos para projetos de construção faraônicos. Recomendamos alguém com menos inclinação para a vaidade e com mais autocontrole.”

Então é isso! Os apóstolos não eram os únicos da lista de improváveis ao sucesso. É certo que alcançaram êxito excepcional em seus trabalhos, com exceção de Judas — uma amarga decepção para todos.

O que isso nos diz então? É animador saber que os que se tornam os maiores sucessos não são necessariamente os que preenchem os pré-requisitos padronizados. Aos que desejam alcançar êxito em seus esforços, a Palavra de Deus ensina: “Consagre ao Senhor tudo o que você faz, e os seus planos serão bem-sucedidos.”9

1. © 1994 Billy Graham Center Institute of Evangelism
2. Ver 1 Samuel 16.
3. Ver 1 Samuel 17.
4. Ver 1 Samuel 22.
5. Ver 2 Samuel 3:1.
6. Ver 2 Samuel 15–18.
7. Ver 1 Reis 3.
8. Ver 1 Reis 11.
9. Provérbios 16:3 NVI
Phillip Lynch

Phillip Lynch

Phillip Lynch, nascido na Nova Zelândia, mora na Costa Leste do Canadá. É autor de diversos livros e artigos, publicados sob o pseudônimo Scott MacGregor.

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.