Dúvidas

Encontrando fé

Abril 2021 | Tagged sob

Certo dia, encontrei numa livraria uma enciclopédia com uma seção de artigos relacionados à Bíblia. Curiosa para saber como um estudioso secular descreveria os grandes homens e mulheres da Bíblia, passei a ler algumas das curtas biografias que a obra trazia, tais como as dos profetas Daniel, Jeremias e Isaías; do rei Davi; de Sansão; e dos apóstolos Mateus, Pedro e Paulo.

Fazendo perguntas

Setembro 2016 | Tagged sob

A fé é a confiança racional, que questiona e busca com base na confiança em Deus.
— John Stott (n. 1921)

*

A dúvida não é o oposto da fé, mas um componente dela.
— Paul Tillich (1886–1965)

As dúvidas da minha fé

Setembro 2016 | Tagged sob

Cresci pensando que fé e dúvida fossem antônimos. A fé era boa; a dúvida, má. Essa mentalidade fazia com que eu achasse que até mesmo as perguntas fossem perigosas, pois poderiam levar à dúvida. Para alguém intelectualmente curioso, era uma questão difícil e tive de me debater com isso desde que me entendo por gente. Os questionamentos aos quais eu resistia variavam desde a importância que Deus dava para algumas regras encontradas na Bíblia, às vezes interpretadas de forma vaga ou com muito dogmatismo, à muito maior e perpétua pergunta: Deus existe?

Dúvidas saudáveis

Maio 2012 | Tagged sob

Nem todo mundo consegue aceitar elementos doutrinários sem os questionar. Assim como Deus fez as pessoas diferentes entre si em termos de personalidade e constituição física, há também vários tipos de fé. Quer você precise de tempo para estudar, refletir e raciocinar antes de acreditar, ou seja daqueles que abraçam conceitos espirituais com poucas objeções, o que conta é a meta: uma fé viva.

Crises de fé e questionamentos de doutrinas não são ocorrências raras, mesmo com respeito a princípios fundamentais. Deus muitas vezes trabalha por meio dessas batalhas da mente e do espírito e as usa para nos fortalecer. É um processo que pode servir para nos ajudar a voltar à essência de nossa fé ou reafirmar nossas crenças e a ter maior clareza de não apenas no que acreditamos, mas dos seus porquês.

Em Quem tenho crido

Maio 2012 | Tagged sob

“Sei em quem tenho crido e estou bem certo de que Ele é poderoso para guardar o que Lhe confiei até aquele dia.”1 Ontem à noite, esse versículo veio à minha mente e aí pairou por muito tempo. Não é raro eu pensar em um trecho da Bíblia, mas desta vez foi diferente. As palavras e sua riqueza se salientaram — pareciam “mais altas” ou algo assim. Pensei e repensei na frase por vários ângulos, meditando no que significaria para mim.

Paulo não disse: “Sei em que tenho crido” ou “Sei por que tenho crido”, mas “Sei em quem tenho crido”. Mesmo sem jamais haver visto ou ouvido Jesus ensinar em Sua rápida passagem na Terra, Paulo O conhecia muito bem e O amava tanto que dedicou a para levar Jesus aos outros e construir o alicerce para a fé de muitos milhões que vieram após ele —uma missão que lhe causou muitos sofrimentos. Ele não fez tudo isso para garantir que aprendêssemos a doutrina correta, mas para que conhecêssemos a gloriosa pessoa que ele teve o privilégio de conhecer.

Amando Deus com nossas mentes

Maio 2012 | Tagged sob

Jesus disse que devemos amar Deus “com todo o coração, com toda a alma e com toda a mente.”1 Observe que não se referiu somente ao coração e à alma, mas também à mente. Deus concedeu faculdades mentais aos seres humanos. Criou-nos capazes de raciocínio, crescimento intelectual, pensamento crítico e inferências. Além disso, dotou-nos da consciência como guia para fazermos as escolhas moralmente corretas.

O apóstolo Paulo disse, “Algumas pessoas pensam que certos dias são mais importantes do que outros, enquanto que outras pessoas pensam que todos os dias são iguais. Cada um deve estar bem firme nas suas opiniões.”2 E, no mesmo discurso, adicionou: “O que não se baseia na fé é pecado.”3 Ele estava ensinando a importância de explorarmos nossas crenças para determinarmos o que acreditamos ser certo e errado com respeito às coisas. Analisar, discutir e debater doutrinas pode proporcionar exercícios saudáveis para a fé, pois exigem que nos aprofundemos nas nossas crenças e encontremos a fundação escritural que as sustenta.

A fé e as zonas de conforto

Maio 2012 | Tagged sob

Fala-se muito de “sair da zona de conforto”. Odeio esse negócio. Admito: gosto das minhas zonas de conforto. Não gosto de fazer coisas novas, especialmente o que não entendo ou que não acho que vá me sair bem. Ultimamente, entretanto, tenho sido expulsa da minha zona de conforto com certa regularidade. Penso na magnitude de um novo projeto ou empreendimento, começo a tremer por dentro e, mentalmente, recuar.

Eu discutia um projeto assim com um amigo que me dizia suas ideias. Ele é do tipo que pensa grande e no longo prazo. Não se intimida pelo prospecto de trabalho árduo ou riscos. Na verdade, para ele, quanto maior e mais desafiador for o trabalho, melhor. Bastou me contar seus planos para imediatamente eu ficar atônita. Notou meus olhos vidrados.

A fundação da fé

Maio 2012 | Tagged sob Histórias bíblicas

Um Conto de Duas Cidades

No 17º capítulo do Livro de Atos lemos sobre as primeiras experiências de Paulo em Tessalônica e Beréia, duas cidades na região hoje conhecida como Grécia. Ambas tinham comunidades judaicas, sinagogas e, aparentemente, um número considerável de gregos proeminentes convertidos ao judaísmo.

Em Tessalônica, “Paulo, como tinha por costume, foi ter com eles, e por três sábados discutiu com eles sobre as Escrituras, expondo e demonstrando que convinha que o Cristo padecesse e ressurgisse dentre os mortos. E este Jesus que vos anuncio, dizia ele, é o Cristo.”1 Alguns dos seus ouvintes foram persuadidos, enquanto outros provocaram uma perseguição aos cristãos, forçando Paulo e Silas a fugir para Beréia, cidade vizinha.

Mentes brilhantes

Maio 2012 | Tagged sob

Diferentemente de seus pares modernos, parece que a maioria dos prodígios do passado tinha fé. Como pode ser? Suas habilidades excepcionais não os levaram a concluir que ter fé era ilógico e ingenuidade? Parece que não. É bem verdade que não se beneficiaram de tudo que a ciência produziu desde então, mas não acho que isso responda. A ciência não pode ratificar nem invalidar as questões relacionadas à fé, tais como a existência de Deus.

Poderíamos dizer, então, que eles acreditavam por ser a norma da época e cederam às pressões das autoridades e de seus colegas? Acho que não. Grandes pensadores raramente se submetem assim, mas costumam ser pedras nos sapatos de instituições e autoridades retrógradas. Suas mentes criativas e incisivas deixam as lideranças e seus colegas desnorteados, com suas ginásticas mentais, teorias inovadoras e soluções para problemas antes considerados insolúveis.

Fé no mundo real

Maio 2012 | Tagged sob Estudos bíblicos

Que benefícios práticos a fé oferece? Estes são alguns. Em essência, é uma curta lista de promessas de Deus.

Novos começos

A vida que agora vivo […] vivo-a na fé do Filho de Deus, que me amou e a Si mesmo Se entregou por mim. —Gálatas 2:20

Se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram, tudo se fez novo. —2 Coríntios 5:17

<Page 1 of 2>
Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.