Pensando nos Reis Magos

Pensando nos Reis Magos

Sempre fui fascinado por uma parte específica da história do nascimento de Jesus: a visita dos reis magos.

O Evangelho segundo Mateus é o único que menciona aqueles homens misteriosos, aos quais se refere simplesmente como “uns magos” que trouxeram presentes ao Menino Jesus: “ouro, incenso e mirra”.1

Mateus nos diz que “vieram do Oriente” — o que não esclarece muito. Podem ter vindo da Mesopotâmia, um local próximo, ou de terras distantes onde hoje se encontra a Índia ou a Ásia Central. A suposição comum é que vieram da Pérsia, na época parte do Império Parta, inimigo implacável de Roma.

Aproximadamente dois anos se passaram desde que os reis magos viram a estrela até chegarem a Jerusalém. É possível fazer essa conta porque quando informaram a Herodes quando a estrela surgira, ele decidiu eliminar o “rei dos judeus”, ordenando que fossem mortos todos os bebês do sexo masculino de até dois anos de idade que estivessem em Belém.

Teriam levado dois anos para irem da Pérsia para Jerusalém? Uma caravana de camelos viajando em linha reta demoraria 25 dias, então, aparentemente, viajaram bem devagar, ou tomaram uma rota tortuosa, ou se demoraram muito para partir em sua jornada. Suspeito que todos os três elementos se combinaram ao fato de terem de atravessar uma fronteira hostil entre impérios que se enfrentavam com frequência.

Os magos persas tinham a reputação de estudar as estrelas, mas me pergunto como sabiam que a estrela que avistaram significava que o “rei dos judeus” tinha nascido. Em nenhum lugar nas Escrituras hebraicas diz que um rei especial seria anunciado por uma nova estrela. Será que havia algo na literatura persa a esse respeito? E por que o nascimento de um rei em um longínquo povoado de um império inimigo seria tão importante, a ponto de compelir aqueles homens a embarcar em uma longa e perigosa jornada? Que informações privilegiadas teriam?

Mateus conta que os sábios encontraram Maria e a criança “em casa”,2 não em um estábulo como é comumente retratado. Lucas relata que Maria e José levavam vidas normais desde o nascimento de Jesus. Quando Jesus tinha oito dias de idade, o levaram para ser circuncidado,3 e 40 dias depois do Seu nascimento, levaram-nO ao templo em Jerusalém para o dedicarem a Deus e oferecerem o sacrifício ritual habitual para a purificação de Maria após o parto.4

E a tal estrela? Parece que todo ano leio sobre pessoas recorrendo à astronomia em busca de informações relacionadas à época do nascimento de Jesus na tentativa de localizar um cometa, uma supernova, ou algum outro corpo celeste que possa corresponder à estrela do Natal. Duvido que encontrem, porque aquele era um corpo celeste diferente de qualquer outro. Segundo Mateus, os reis magos observaram a estrela desde seus lugares de origem, no Oriente e decifraram o seu significado. Mas parece que só a avistaram novamente no caminho de Jerusalém a Belém, que fica a pouco mais de uma hora de viagem de camelo. Quando os reis magos se aproximaram de Belém, a estrela reapareceu e “se deteve sobre o lugar onde estava o menino”. Que tipo de astro aparece subitamente e paira sobre uma casa? Será que foi mesmo uma estrela?

No Evangelho segundo Lucas, lemos que, na noite em que Jesus nasceu, uma luz muito brilhante surgiu no céu.5 Será que uma “grande multidão do exército celestial” à noite poderia ter iluminado o céu de tal maneira a ponto de confundir os reis magos que seguiam uma estrela a acharem que se tratava de um novo corpo celeste? Lemos em Lucas que o coro angelical ascendeu aos céus logo após cantarem para os pastores. Observe que os reis magos disseram que viram a estrela subir. Poderia ter sido o brilho que apareceu sobre a casa de José e Maria? Quem sabe? Anjos parecem ter visitado regularmente a casa.6

Por último, temos os presentes. A tradição de que eram três reis magos deve ter surgido pelo fato de serem três presentes. Mas poderiam ter sido dois ou até… bem… muitos outros. Entendo dar ouro de presente, mas por que incenso e mirra? Um grama dessas duas substâncias resinosas custava mais do que o mesmo peso em ouro, e se originavam em árvores que existiam em lugares como o atual Iêmen.

Os judeus incluíam incenso e mirra em uma mistura de resinas e ervas para queimarem no altar. Era algo considerado tão sagrado que, se um judeu usasse essa mesma receita para queimar em sua casa, seria exilado. Sem dúvida é relevante que o incenso usado na adoração a Deus no templo fosse oferecido pelos reis magos ao rei que foram adorar. Não sei bem que utilidade as resinas teriam para Maria e José. Talvez as tenham vendido no Egito, para cobrir suas despesas, visto que precisaram pagar pela viagem.

Portanto, os reis magos vieram a Jesus, adoraram-nO e, depois de serem avisados por Deus que Herodes queria matar a criança, voltaram ao seu país por uma rota diferente da que usaram na ida.

1. Ver Mateus 2:1–12.
2. Mateus 2:11
3. Ver Lucas 2:21.
4. Ver Lucas 2:22–24.
5. Ver Lucas 2:8–13.
6. Ver Mateus 2:13,19–20.

Phillip Lynch

Phillip Lynch

Phillip Lynch, nascido na Nova Zelândia, mora na Costa Leste do Canadá. É autor de diversos livros e artigos, publicados sob o pseudônimo Scott MacGregor.

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.