Por que um bebê?

Por que um bebê?

O Natal se aproximava e eu me perguntava por que Deus enviara Jesus à Terra como um bebê. Contamos e recontamos a história, e eu praticamente memorizei Lucas 2. Enquanto o burro leva Maria, José procura desesperado por uma pousada; os pastores assistem ao coral de anjos no campo e os sábios do Oriente seguem uma estrela.

Em encenações da Noite de Natal, quando na infância frequentei a escola dominical, já fiz o papel de Maria, de anjo e cheguei a me vestir como um rei mago, quando não havia garotos suficientes na minha turma. Hoje, pelas movimentadas ruas de comércio, canto baixinho os hinos de Natal. Conheço-os muito bem.

Mas a pergunta insistia: Por que Deus decidiu enviar Jesus como um bebê para uma mulher tão jovem e solteira? Por que escolheu um estábulo e pastores humildes? Fazer isso com o filho unigênito de Deus?! Poderia ter caprichado mais. Todos os olhos poderiam ter visto Sua vinda, tal como a Bíblia diz que acontecerá em Seu retorno. Então por que um bebê? Por que uma criança frágil, uma coisinha indefesa, envolta em trapos e colocada no cocho de uma vaca?

As últimas semanas têm sido difíceis para mim, com crises de enxaqueca e insônia. Tentei dar a melhor impressão, mas me sentia muito fraca nos últimos dias. Não via como conseguiria me preparar minimamente para as festividades.

Hoje encontrei a resposta para a minha pergunta. Lembrei que a Bíblia diz que Ele foi tentado de todas as formas que nós somos tentados. Ocorreu-me, então, que talvez Ele precisasse vivenciar ser fraco e pequeno, depender dos outros, pedir ajuda, sentir como a palha é áspera e o ar da noite frio.

Apesar de tudo isso, não deixou de Se preparar para o trabalho que Deus Lhe enviara para realizar, o qual, à primeira vista, não parecia tão grande e glorioso e O levou a uma morte horrível. Jesus escolheu vir, sabendo pelo que passaria. Por ter sido humano, entende melhor os humanos. Optou por Se tornar humano para Se identificar com nossas fraquezas, nossa pobreza e nossos desconfortos.

Isso é parte do que torna a história tão incrível e tão bonita. É uma das razões pelas quais a recriamos em igrejas e montamos nossos presépios. A humildade de tudo isso é em si o milagre, o Filho de Deus assumindo a forma humana. A própria humanidade de tudo isso nos faz sentir o amor de Deus de uma maneira singular.

Joyce Suttin

Joyce Suttin

Joyce Suttin é educadora, casada e vive em San Antonio, Texas. Faz seleção e edição online de textos motivacionais e é autora vários artigos dessa natureza, muitos dos quais publicados pela revista Contato.

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.