O fim, logo depois da curva

— Você nem imagina o que diz este livro que acabei de ler! — afirmou, agitado, meu amigo, normalmente uma pessoa tranquila. Uma coisa garanto: vai acontecer em breve!

— O que vai acontecer em breve?

— O fim do mundo como o conhecemos!

E prosseguiu com uma avalanche de fatos e estatísticas para tentar me convencer de sua crença.

— Você sabia que nos últimos 20 anos o Oceano Ártico aqueceu oito vezes mais rápido que nos 100 anos anteriores?

Balancei a cabeça positivamente. O aquecimento global é matéria do noticiário quase diariamente.

— A produção de petróleo atingiu o máximo, mas a demanda não para de crescer, especialmente da China e na Índia, que têm crescimento gigantesco. A menos que sejam descobertas novas reservas, poderemos ficar sem petróleo em questão de décadas. E como vai ficar? O excesso populacional, juntamente com o desmatamento, as queimadas e outros abusos contra os recursos naturais poderiam, com o tempo, causar escassez de alimentos e estiagens de proporções apocalípticas.

Meu amigo, sem dúvida, sabia do que estava falando, mas o fato é que eu não precisava ser convencido da seriedade da situação global. Acredito que estamos vivendo em uma era que a Bíblia chama de “Tempo do Fim” ou “Últimos Dias”, e que outros livros sagrados do islã, do hinduísmo e de outras religiões chamam por vários outros nomes.

Jesus disse que assim como é possível predizer como será o clima pela observação do céu, podemos saber o que está para acontecer no mundo se estivermos atentos aos eventos e tendências mundiais.¹ As crises econômica e ambiental são sinais garantidos das tremendas mudanças que nos aguardam no futuro.

Faz apenas uma geração que os avisos da iminência de uma catástrofe eram comumente associados a caricaturas de algum doido barbudo e descabelado segurando uma placa “O FIM ESTÁ CHEGANDO!” Mas esse estereótipo de advertências apocalípticas não tem mais chances na mídia, porque sua mensagem deixou de ser motivo de chacotas ou a opinião de dissidentes. Um número cada vez maior de renomados estudiosos, cientistas, climatologistas e economistas está dizendo a mesma coisa e tem dados para fundamentar suas declarações.

Ao nos dizer para estarmos atentos aos sinais do fim, Jesus não estava tentando transmitir medo ou ansiedade, mas nos preparar para o que está logo após a curva. Aconteça o que acontecer, temos a certeza da Sua presença: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou” — Ele promete. “Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.”²

1. Mateus 16:2-3
2. João 14:27
Curtis Peter van Gorder

Curtis Peter van Gorder

Curtis Peter van Gorder é roteirista e mímico. Dedicou 47 anos a realizar atividades missionárias em dez países diferentes. Ele e sua esposa Pauline moram atualmente na Alemanha.

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.