Gratidão pelas memórias

Gratidão pelas memórias

Na minha infância, nos EUA, minhas expectativas em torno do Dia de Ação de Graças eram quase tão grandes quanto as que precediam o Natal. As cores do outono adicionavam dramaticidade ao evento: os tons de marrom, amarelo, laranja e vermelho decoravam a paisagem de árvores de madeira de lei no Vale de Ohio, como se toda a região se elevasse em louvores e gratidão a Deus pelo verão caloroso e iluminado que Ele lhe havia dado. Era o derradeiro reconhecimento da glória de Deus antes de finalmente deixar que se escapassem de seus galhos as folhas, que flutuavam para se espalharem sobre o solo e generosamente fertilizá-lo.

Eu adorava ver os montes de feno nos campos, transbordantes de bondades e visões de prosperidade. Principalmente, adorava ir para a casa de minha avó e esperar ansioso meu avô trazer o peru para a mesa, à qual chamava todos os tios, tias, primos e primas, para que tomassem seus lugares na sala de jantar.

Em sinal de respeito, baixávamos a cabeça enquanto Vovô reverentemente agradecia a Deus pelo alimento e por mais um ano de abundante provisão. Então, todos esperavam tão pacientemente quanto possível pelas travessas com comida passarem de mão em mão, entre os parentes. Meu interesse maior era uma tigela grande cheia do recheio especial de peru, especialidade da minha avó!

O dia de “ação de graças” varia entre os muitos países que adotam a tradição. Nos Estados Unidos, o costume iniciado pelos antigos colonizadores, após a primeira colheita do Novo Mundo se tornou oficial quando, em 1863, o então presidente Abraham Lincoln proclamou a quarta quinta-feira de novembro um dia nacional de “ação de graças e louvor ao nosso bondoso Pai que habita os céus”.

Espero que pessoas que celebram o dia de Ação de Graças nestes tempos mais modernos se lembrem de fato dAquele do qual fluem todas as bênçãos. É maravilhoso que seja dedicado um dia do ano para se demonstrar a gratidão, mas a Bíblia ensina que os filhos de Deus devem dar graças em todos os momentos e em tudo, não apenas uma vez por ano.1

Muito tempo passou desde que eu era um menino sentado à mesa de meus avós, pedindo para comer mais recheio. Hoje, as coisas pelas quais estou mais agradecido são boa saúde, uma esposa amorosa e simplesmente mais um dia de vida para servir “o nosso bondoso Pai que habita os céus”.

1. Veja 1 Tessalonicenses 5:18.

Andrew Heart

Andrew Heart e sua esposa, Anna, são missionários há quase cinco décadas.

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.