Agentes livres

Agentes livres

Já lhe aconteceu de estar diante de decisões impor­tantes para as quais precisava de orientações explícitas, mas sentir que Deus estava em “modo silencioso”, justo quando você mais gostaria que Ele lhe desse uma resposta precisa para ajudá-lo em uma decisão importante? Eu, já. E esses momentos são de verdadeiras dificuldades espirituais. Queria que o Senhor indicasse com clareza o caminho a seguir, mas, em Sua sabedoria, escolheu não me dar uma resposta direta. Por isso, precisei analisar as opções, buscar conselho divino, examinar as portas de oportunidade abertas à minha frente, orar muito e, principalmente, entregar­-Lhe meus caminhos. Tive de confiar que Ele direcionaria meus passos da maneira que Lhe parecesse melhor.

Os cristãos que querem glorificar Deus em suas vidas devem aprender a tomar decisões com base em Seus princípios e escolher as melhores opções dentre as muitas que sur­gem diariamente. Considerar as alternativas, comparar vantagens e desvantagens, usar a sabedoria que o Senhor nos dá para sondar as situações usando a Palavra de Deus é parte de amar o Senhor com nossa mente, nosso coração e nossa alma, em obediência ao Seu primeiro e maior mandamento.1

Parte do estresse e dos conflitos que encontramos quando estamos tomando decisões vem do medo do fracasso, do receio de não realizar a vontade de Deus, do temor de tomar uma decisão que produza impactos negativos em nossas vidas e nas vidas de outros, os quais não conseguimos prever. Quando se trata dessas decisões importantes capazes de definir nosso futuro, ou pelo menos o futuro imediato, aprende­mos pela experiência que, apesar das nossas melhores intenções e desejos, tomamos decisões que levam a des­dobramentos não previstos, mas com os quais passamos a ter de conviver.

Como Deus nos criou agentes dotados de livre arbítrio e capazes de escolher com independência, somos pessoalmente responsáveis por nossas decisões e pelas consequências, inclusive as negativas.

É uma das razões para sermos cuidadosos e usarmos sabedoria na hora de decidir. Assumir a respon­sabilidade pelos resultados de nossas escolhas é uma importante parte do processo. Somos livres para chegar às nossas próprias decisões, mas também responsáveis pelas consequências. Também temos de confiar que Ele prometeu que tudo contribuiria para o bem dos que O amam, independente­mente dos desdobramentos iniciais que certas situações produzem.2Ele pode usar inclusive nossos erros e as ocasiões em que parecemos ter interpretado mal nossas coordenadas quando tomamos as decisões e, então, redirecionarmos nosso curso, para que a experiência produza benefícios em nossas vidas e nos leve ao destino que Deus planejou para nós.

Curvas e obstáculos inesperados fazem parte da estrada da vida, por mais sábias que sejam nossas decisões. Em muitas passagens bíblicas vemos expectativas e planos que foram contrariados. Ao partir para a Terra Prometida, Moisés provavelmente não previu que vagaria pelo deserto por 40 anos, mas nem por isso perdeu de vista seu destino final, pois continuou avançando apesar dos obstáculos.

Mesmo quando tomamos as decisões certas, nada garante que não haverá percalços no caminho. Tropeços e dificuldades são inerentes à expe­riência humana e muitas vezes servem para fortalecer nossa fé. Deus, nosso Pai celestial, sabe que aprender a tomar decisões, assumir responsabilidades pelos resultados e todas as lições que aprendemos no curso de nossas vidas são parte de nosso processo de cresci­mento e desenvolvimento espiritual.

Conforme Lhe entregarmos nossos caminhos, buscarmos agradá­-lO e fizermos o que é aprazível aos Seus olhos, podemos estar confiantes do nosso relacionamento com Ele, seguros de que Ele estará conosco nas decisões pequenas e grandes que encontrarmos em nossas vidas.3

“Ora, o Deus da paz … vos aperfeiçoe em toda a boa obra, para fazerdes a Sua vontade, operando em vós o que perante Ele é agradável por meio de Jesus Cristo, ao qual seja glória para todo o sempre.”4

1. Ver Mateus 22:37–40.
2. Ver Romanos 8:28.
3. Ver 1 João 3:21–22.
4. Hebreus 13:20–21 
Peter Amsterdam

Peter Amsterdam

Peter Amsterdam participa ativamente do serviço cristão desde 1971. Em 1995, tornou-se diretor (junto com sua esposa, Maria Fontaine) da comunidade cristã conhecida como A Família Internacional. É autor de diversos artigos de teologia e sobre a fé. (Os textos escritos por Peter Amsterdam usados na Contato são adaptações.)

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.