Seu desejo, Seu plano, nossa felicidade

Seu desejo, Seu plano, nossa felicidade

Todos precisamos tomar decisões e navegar pela vida. Dependendo da natureza de cada um, há os que adoram esses desafios, enquanto outros se assustam. Para a maioria, é provavelmente um pouco dos dois.

Eu, pessoalmente, não gosto de tomar decisões. Já me aconteceu duas vezes na minha vida adulta de eu ter um troço e começar a chorar numa praça de alimentação por haver opções demais para o almoço! É um absurdo, con­cordo. Se o meu marido e meus filhos aceitassem, eu comeria a mesma coisa todos os dias, só para não ter de escolher o que comer. E isso sem falar das maiores escolhas na vida como onde quero morar, que carreira seguir e como usar o dinheiro, dentre muitas outras.

Entendo que minha vida será um conjunto das minhas escolhas e as consequências resultantes, tanto boas quanto ruins. Para mim, entender isso salienta duas coisas:

1. Preciso muito da ajuda de Deus.

2. Preciso de um plano.

A beleza disso tudo é que Deus prometeu ser um participante ativo se eu Lhe permitir. Ele diz que se eu O reconhecer, Ele vai endireitar as minhas veredas.1Se as Suas Palavras estiverem em meu coração, nenhum dos meus passos resvalarão.2Se eu me firmar à Sua Palavra, ela vai ser uma luz e me mostrar que caminho seguir.3Deus tem a Sua parte bem definida, e a minha?

Um bom lugar para começar é estudar a Palavra de Deus e conhecer o padrão que Ele nos deu para vivermos. Sua Palavra é como os sinais refle­tores em uma estrada escura. Conforme viajamos por ela, eles mostram os limites da pista para não entrarmos na contramão nem sairmos da estrada. Sua Palavra nos mostra os limites e o caminho a seguir.

Às vezes é bem simples. Como sei que a Palavra de Deus me diz para ser amorosa e gentil, é natural eu perguntar: “Qual é a coisa amorosa a fazer?” Mas nem tudo é tão simples, como quando todas as opções estão nos limites da vontade de Deus, ou quando tenho uma forte inclinação em uma situação que afeta o processo de tomada de decisão. Pode ser difícil chegar a uma decisão com a qual estejamos em paz. Mas Deus prometeu que guiaria os nossos caminhos se O reconhecêssemos, de modo que podemos contar com Sua ajuda e orientação, se Lhe pedirmos.

“Para quem não sabe aonde vai, qualquer caminho serve.” É importante planejar e a Palavra de Deus assume que temos planos para nossas vidas: “Conceda-te o desejo do teu coração e leve a efeito todos os teus planos.”4

Naturalmente, só porque algo é o plano de Deus não significa que vai se materializar instantaneamente, sem dificuldades nem desafios. Se o seu caminho for parecido com o meu, não é uma reta. Mesmo assim, um plano geral, uma meta ou um destino estabelecido me ajuda nas escolhas que tenho de fazer no dia a dia.

Diante de uma encruzilhada, meu plano me ajuda a saber em que direção seguir. Quando a jornada se torna uma experiência solitária, é bom lembrar que escolhi esse caminho por causa do destino ao qual me leva. Quando outros caminhos parecem mais fáceis, ou me atraem por alguma outra razão, lembro que o destino que escolhi é o desejo do meu coração.

Deus tem um plano ímpar para a vida de cada um. Criou-nos à Sua imagem e nos dotou de livre arbítrio para tomarmos decisões para participarmos ativamente do processo de determinar e seguir esse plano. Se já souber aonde vai, fique perto da Palavra de Deus e ela o guiará. Se ainda não tiver certeza, concentre-se em viver como a Palavra de Deus nos ensina, e Deus colocará o plano que tem para você em seu coração. Com Seu plano e Seu desejo no coração, você saberá o que fazer.

1. Ver Provérbios 3:6.
2. Ver Salmo 37:31.
3. Ver Salmo 119:105.
4. Salmo 20:4 

Mara Hodler

Mara Hodler é escritora freelance. Este artigo foi adaptado de um podcast disponível em Just1Thing, um website dedicado à formação do caráter cristão para o público jovem.

Mais nesta categoria « À beira do rio O GPS de Deus »
Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.