Palavras salvadoras

Palavras salvadoras

O sol brilhava janela adentro enquanto eu saía de sob minhas cobertas, sem imaginar que um dia memorável estava apenas começando. Sussurrei uma oração na qual pedi a Jesus que me abençoasse na hora da tomografia computadorizada do abdômen que tinha marcada para aquela manhã. Quando Lhe perguntei se havia algo que gostaria de me dizer sobre aquele dia, respondeu-me: “Lutarei com você. Enfrentarei o desafio com você.”

Foram palavras reconfortantes, mas também enigmáticas. Por conta de uma disfunção digestiva, fora examinada por quase uma dúzia de médicos no último ano e feito muitos exames. Nenhum desses exames representaram nenhum tipo de desafio especial. Por que uma tomografia de rotina seria diferente?

Mais tarde, no hospital, para obter uma imagem clara, a enfermeira fez a injeção de um contraste e saiu do recinto para evitar a exposição à radiação emitida pelo tomógrafo. Durante o procedimento, o contraste caiu na minha corrente sanguínea. Uma dor alucinante tomou meu corpo. Senti uma pressão tremenda em meus pulmões. Lutava para respirar. Tentei gritar, mas minha garganta estava de tal forma fechada que o ar mal conseguia passar.

A dor se intensificava a cada segundo. Meus sentidos estavam fora de controle e meu rosto inchado. Abrir os olhos era quase impossível. Sentia uma pressão e uma dor enorme no rosto. Eu não tinha nenhuma ideia do que estava acontecendo. Tentei manter a calma. Repetia sem parar para mim mesma que logo passaria.

Descobri mais tarde que tive uma reação alérgica ao contraste, uma complicação capaz de levar ao óbito pessoas que, como eu, sofrem de asma - uma condição que o hospital não percebeu quando programou a tomografia.

Por fim, o procedimento acabou e a enfermeira voltou. Com grande dificuldade me levantei, tossindo sem parar. Meu rosto e pescoço inchados e cobertos de manchas vermelhas indicavam que algo estava seriamente errado. Ela me ajudou a chegar à cama mais próxima e chamou o médico. Quando ele me perguntou onde doía, não consegui abrir a boca para responder. “Leve-a para a sala de emergência imediatamente!” - determinou o médico. “Isso é muito sério!”

Quando lá cheguei, o médico que me examinou comunicou ao meu pai, que havia me acompanhado ao hospital, o que estava acontecendo. “Seus batimentos cardíacos estão fracos, a pressão arterial está caindo muito rápido e seus pulmões estão recebendo muito pouco oxigênio. Ela está em choque tóxico.”

Meu pai ligou para nossos familiares, amigos e pediu que orassem por mim. Senti sua mão apertar a minha e vi desespero em seus olhos. Entendi a conclusão não pronunciada do médico: não havia certeza de que eu sobreviveria.

As enfermeiras trataram logo de me entubar e de me aplicar injeções para combater a toxina. “Respire!” insistiam comigo. Eu lutava com tudo que tinha, mas sentia como se estivesse deslizando para a escuridão - uma escuridão silenciosa, indolor e muito mais forte que eu.

De repente, lembrei das palavras de Jesus: “Lutarei com você. Enfrentarei o desafio com você.” Uma força e uma determinação que só poderiam vir dEle me puxaram para fora das trevas. Lutei para abrir os olhos e respirar mais uma vez.

A dor tinha piorado e estava insuportável. Meu corpo se agitava em convulsões. Eu não conseguia pensar e muito menos orar. Fui tomada por uma segunda onda de escuridão adormecedora. Incapaz de resistir, senti como se estivesse desvanecendo.

Mais uma vez, as palavras salvadoras de Jesus voltaram a mim: “Lutarei com você. Enfrentarei o desafio com você.”

Agarrando-me a essas palavras, encontrei as forças para continuar lutando, continuar respirando.

Depois de duas horas intensas, eu estava fora de perigo. Havia sobrevivido!

Quando meu pai me tirou do hospital, reencontrei o brilho do Sol. Estava um pouco tonta, mas com o coração transbordante de gratidão e alegria. Jesus havia salvado minha vida! Com toda certeza Ele é, como ensina a Bíblia, “o mesmo ontem, hoje, e eternamente.”1

Ainda bem que, naquela manhã, Lhe pedi para falar comigo. Pareceu algo pequeno na hora, quase uma inconveniência, mas aquelas poucas palavras salvaram minha vida.

Promessas de proteção

Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque Tu estás comigo. — Salmo 23:4a

Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia. — Salmo 46:1

Invoca-Me no dia da angústia; Eu te livrarei, e tu Me glorificarás. — Salmo 50:15

Pois aos Seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos. —Salmo 91:11

Quando passares pelas águas, estarei contigo, e quando passares pelos rios, eles não te submergirão. Quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chama arderá em ti. —Isaías 43:2

1. Hebreus 13:8
Evelyn Sichrovsky

Evelyn Sichrovsky

Evelyn Sichrovsky estuda Letras com ênfase em inglês. Participa também como voluntária em trabalhos missionários em Taiwan, onde vive com sua família.

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.