Uma horta temperamental

Uma horta temperamental

Na pequena escola que frequentei no Ensino Fundamental havia um jardineiro que todos chamávamos de “Tio Silas”. Ele conseguia ter uma daquelas “hortas de livro ilustrado” com tomate, vagem, repolho e alface por todos os lados. Nossos canteiros de flores na frente da escola tinham sempre uma variedade incrível de cores e ele sabia exatamente que plantas e flores eram melhores para cada época do ano. Ele tinha anos de experiência e todas as manhas do ofício.

Nem todas as histórias sobre hortas e jardins são assim.

Li um artigo de uma mulher, Koriane, que, com os filhos, resolveu começar uma horta. Imagens mentais de abundância de frutos, verduras e legumes saborosos os inspiravam enquanto revolviam a terra, plantavam, regavam e cuidavam dos canteiros. Mas a horta não produzia de jeito nenhum.

Koriane desanimou e várias vezes sentiu vontade de desistir. Mas a cada manhã, quando o sol aparecia, a motivação se renovava e ela tentava novamente, na esperança de que seus esforços fossem recompensados. Não entendia por que as sementes demandavam tanto esforço e cuidado atencioso para fazerem o que lhes cabe, enquanto as ervas daninhas eram abundantes e cresciam, feito… ervas daninhas.

A família havia preparado o solo e plantado dez tipos de hortaliças bem arrumadinhas, mas, apesar de as plantas terem crescido rapidamente, os frutos eram poucos e mirrados. Tudo que viam nascer eram folhas não comestíveis. Passado mais algum tempo, começaram a colher alguns morangos, beterrabas e cenouras bem pequenos. Então passaram a se divertir usando esses minúsculos legumes para preparar pratos secundários para o jantar. Mas não era aquilo que esperavam quando começaram o projeto e Koriane se perguntou algumas vezes por que se dava o trabalho.

Resolveu ler mais sobre jardinagem e descobriu que há muitos fatores envolvidos em cultivar legumes perfeitos ou uma árvore verdadeiramente frutífera. Por exemplo, você precisa ter o tipo certo de abelhas na área para polinizar as flores. Se o tipo errado de defensivo agrícola tiver sido usado na área e só houver poucas ou nenhuma abelha, a produtividade das plantas seria prejudicada. Além disso, é importante saber as particularidades das plantas. Algumas árvores, por exemplo, produzem muito em um ano e nada no ano seguinte, alternando assim sua produção de frutos.

Em vez de causar desânimo, as informações ajudaram Koriane e filhos a não se sentirem muito mal por estarem tendo dificuldades com sua horta. Entender melhor seus desafios despertou neles o interesse em aprender, experimentar mais e, acima de tudo, desfrutar do processo sem ficarem muito estressados com os resultados.

Koriane afirma que aquilo lançou uma luz sobre a própria vida. Tentamos fazer o que é certo e dar um bom exemplo cristão. Compartilhamos nossa fé com os outros, ajudamos os necessitados, estudamos a Palavra e oramos. Às vezes, os resultados surgem logo no início, mas nem sempre. Há situações em que é fácil ver como a sua participação fez a diferença na vida de alguém e, em outras ocasiões, a gente faz o que pode sem perceber muitos resultados de nossas ações. A beleza disso é que o Senhor não julga pelos resultados, mas pela fidelidade.

Essa reflexão me aninou muito. Todos passamos por momentos em que não acontece muita coisa em nossas vidas, então saber que o Senhor olha para os nossos corações e não nos julga pelos nossos sucessos, mas pela nossa fidelidade alivia muito a pressão. Isso não significa que não devemos perguntar a Deus como podemos fazer um trabalho melhor, se há algo que podemos aprender ou fazer para melhorarmos, enquanto confiamos nEle no que diz respeito aos resultados.

Lembre-se que o elogio que vamos querer do Senhor no final de tudo é: “Muito bem, servo bom e fiel! Você foi fiel no pouco; eu o porei sobre o muito. Venha e participe da alegria do seu Senhor!”1

Enquanto isso, vamos desfrutar das pequenas bênçãos e sucessos que vivenciamos, sabendo que somos todos parte do grande plano mestre de Deus.

* * *

O Senhor atribuiu [um ministério] a cada um. Eu plantei, Apolo regou, mas Deus é quem fez crescer. De modo que nem o que planta nem o que rega são alguma coisa, mas unicamente Deus, que efetua o crescimento. O que planta e o que rega têm um só propósito, e cada um será recompensado de acordo com o seu próprio trabalho. Pois nós somos cooperadores de Deus; vocês são lavoura de Deus e edifício de Deus. —1 Coríntios 3:5–9 NVI

1. Mateus 25:21 NVI

Tina Kapp

Tina Kapp é dançarina, apresentadora e escritora freelance na África do Sul. Ela administra uma empresa de entretenimento que ajuda a angariar fundos para projetos sociais e de alcance missionário

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.