Melhor que a luz

Melhor que a luz

É comum imaginar a vida na terra como uma grande estrada perpassando planícies, colinas, vales, montanhas e túneis. Já estive em trechos com cada uma dessas características e confesso que os túneis não me agradam. É onde o futuro parece incerto e o caminho se revela apenas um passo de cada vez. Minha situação nos últimos meses teve uma grande dose de espera para ver como as coisas se desenrolariam e muito cuidado no avanço lento de um passo de cada vez.

Ontem, a incerteza me tomou por completo, formando rapidamente uma nuvem de preocupações e escuridão espiritual.

Orei: “Senhor, traga Sua luz para que eu possa ver”. Em resposta, me fez lembrar das sábias e reconfortantes palavras do poema “O Portão do Ano”. Seus versos não me eram de forma alguma estranhos, mas dessa vez falaram comigo de uma forma muito direta:

Eu disse ao homem que ficava junto ao portão do ano:
“Dê-me uma luz para que eu caminhe em segurança para o desconhecido.”
E ele respondeu:
“Caminhe nas trevas de mãos dadas com Deus.
Para você, será melhor do que a luz, e mais seguro que um caminho conhecido”.
Segui, então, e ao encontrar a mão de Deus, caminhei alegremente pela noite.1

Por ser cego, entendo perfeitamente a importância da assistência em um território pouco conhecido. A mensagem que apreendi foi que devo tomar a mão de Deus com a mesma confiança com que seguro o braço de alguém que me guia no mundo físico. Devo permitir-Lhe me conduzir por este túnel. Enquanto me apegar a Ele, não precisarei de me preocupar com a extensão do túnel e o que me aguarda no outro lado. Posso caminhar com Ele, passo a passo, confiante de que chegarei ao outro lado, são e salvo.

Mesmo que eu não tenha ideia do que há na estrada à minha frente, Aquele que anda ao meu lado tudo vê e bem conhece o caminho que estou trilhando. Posso confiar que Ele me guiará na travessia dos túneis da vida. E você também. Quando as coisas ficarem escuras, não ceda ao pânico nem se deixe dominar por incertezas. Simplesmente segure a mão daquele que prometeu ser melhor que uma luz para todos nós e poderá cruzar todo e qualquer túnel que surgir em seu caminho.

1. Minnie Louise Haskins (1875–1957)

Steve Hearts

Cego de nascença, Steve Hearts é escritor, músico e membro da Família Internacional na América no Norte. 

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.