Minha alma de quarentena

Minha alma de quarentena

Não havia percebido o quanto estava ocupada até parar. Nem notara como era importante para mim ir a lugares e estar perto das pessoas até que me vi impedida de fazer essas coisas. Nunca pensara que estava me estressando com as atividades diárias até que, devido às restrições da COVID-19, não havia mais atividades, e tive de ficar em casa.

Então decidi cavar fundo e aprender o que era fonte de contágio e o que não era. Passei a lavar intensamente minhas mãos, lembrando do que havia tocado e que parte do meu corpo havia tido contato com qualquer coisa que pudesse estar contaminada. Minuciosamente, passei a desinfetar maçanetas e interruptores de luz, limpar o chão, confeccionar máscaras e seguir uma rotina rigorosa sempre que tinha de sair de casa. — Tudo isso para proteger a mim e minha família.

Além disso, passei muito mais tempo assistindo aos telejornais. Pesquisei online para saber o que estava acontecendo e tentar prever como seria o futuro. Além de todas as minhas preocupações e esforços, provavelmente também passei muito tempo procurando coisas para me entreter e manter minha mente ocupada, porque era muito difícil ficar parada. Demorou um pouco para estabelecer as novas rotinas de uma vida mais tranquila e simples, aprender a ser seletiva sobre o que assistia, ouvia e limitar o tempo gasto pensando na pandemia

Passei a despender mais tempo no meu jardim. Cuidava dos brotos e via as flores desabrocharem. Esse meu novo mundo era mais silencioso, com menos trânsito, aviões, me deixava ouvir canções de pássaros e o badalar dos sinos da igreja. Aprendi o poder do santuário, um lugar aonde ir, sem ninguém à minha volta, sem mídia, protegida do contágio do medo e da ansiedade que assola o mundo lá fora.

Conforme meu mundo se tornava menor, minha vida interior se tornava um pouco maior. Ao filtrar os outros pensamentos, pude comungar com Deus em meu coração e encontrar esse lugar de paz no meio da tempestade. Senti como se estivesse passando pelo fundo da agulha sobre o qual Jesus falou1 e entrando no reino dos céus, desfazendo-me de alguns dos pesos e preocupações que me prendiam e vendo a vida um pouco mais claramente.

Então, enquanto peço a Deus por aqueles que sofrem, morrem e lidam com a perda de entes queridos, de renda ou de segurança e por minha própria proteção, tenho a bênção de encontrar um lugar para colocar minha alma em quarentena e protegê-la dos ataques virais do medo e da ansiedade. Em tempos mais difíceis de escuridão, a luz de Deus brilha mais intensamente para nos guiar e nos manter através de tudo.

1. Ver Mateus 19:24.

Joyce Suttin

Joyce Suttin

Joyce Suttin é educadora, casada e vive em San Antonio, Texas. Faz seleção e edição online de textos motivacionais e é autora vários artigos dessa natureza, muitos dos quais publicados pela revista Contato.

Mais nesta categoria « Superando a tempestade
Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.