Aulas de natação

Aulas de natação

Você já notou como algumas pessoas conseguem se manter “na superfície” em meio a problemas e dificuldades, enquanto outras “afundam”? O que diferencia os flutuadores dos afogados? Minhas observações me levam a crer que o maior fator parece ser a capacidade de acreditar no amor de Deus. Os que entendem quanto Ele os ama submergem, sabem que Ele não permitirá que se afoguem. Ao contrário dos demais, não se desgastam tentando manter a cabeça fora da água nem, como acontece nos casos piores, cedem ao pânico, o que apressa o afundamento da vítima. Flutuando sobre sua fé, os nadadores dos mares da vida usam suas energias para chegarem a terra firme.

Se você se identifica mais com os que afundam, prepare-se para a próxima enchente fortalecendo sua fé no amor de Deus. A amplitude e a profundidade desse amor ultrapassam nossa compreensão, mas a Bíblia o assemelha ao amor que um pai tem pelos filhos. “Como um pai trata os seus filhos com bondade, assim o Eterno é bondoso para aqueles que O temem.”1 Deus não tem prazer em vê-lo enrascado nem está tentando dificultar sua vida. Está do seu lado e só quer vê-lo feliz e realizado. Isso não é sinônimo de uma vida sem problemas, mas quando as águas subirem e não der pé para você, pode ter certeza de que Ele estará com você. Na verdade, é exatamente o que promete em um versículo bíblico: “Quando passares pelas águas, estarei contigo, e quando passares pelos rios, eles não te submergirão.”2

Para aprender a nadar, o primeiro passo é saber boiar, para o que é preciso adquirir a habilidade de relaxar sobre a água e não lutar contra ela. Coloque-se nas mãos de Deus, deite-se, relaxe e deixe que Ele o sustente. Treine em águas rasas para estar pronto para o que o futuro lhe reserva.

* * *

Novo começo

Quanto mais perto chego do fim, mais claro é o som de sinfonias imortais de mundos que me convidam. Por meio século venho traduzindo meus pensamentos em prosa e verso: história, filosofia, drama, romance, tradição, sátira, ode e canção; tudo isso tentei. Mas sinto que não expressei a milésima parte do que está dentro de mim. Quando eu for para o túmulo, poderei dizer como outros: “Meu dia de trabalho está feito.” Mas não posso dizer: “Minha vida acabou.” Meu trabalho recomeçará na manhã seguinte. A tumba não é um beco sem saída; é uma via que se fecha ao crepúsculo e se abre ao amanhecer. —Victor Hugo (1802–1885)

1. Salmo 103:13
2. Isaias 43:2

Keith Phillips

Keith Phillips

Keith Philips foi editor-chefe da revista Activated (versão em inglês da Contato) por 14 anos, de 1999 a 2013. Ele e sua esposa, Caryn, trabalham atualmente com pessoas sem-teto nos EUA.

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.