Aprendendo respeito

Aprendendo respeito

Pergunta: Ultimamente, meus filhos têm sido muito desrespeitosos. E parece que sempre que tento endireitar a situação só pioro as coisas. O que posso fazer?

Resposta: O primeiro passo para corrigir esse tipo de mau comportamento é aceitar a dolorosa verdade que a culpa de seus filhos chegarem a esse estado é, em parte, sua. Como acontece à maioria dos problemas, o caminho para a solução começa pelo exame das suas próprias atitudes e ações para entender o que você precisa mudar, antes de querer ajudar os outros a mudar.

Apesar de ser natural os filhos questionarem mais e serem mais insolentes com a idade e precisarem de mais explicações, o desrespeito e a desobediência extremos são, tipicamente, o resultado de excesso de tolerância. Permissividade excessiva ensina às crianças a manipular os pais em vez de respeitá-los. A solução é aprender a ser mais firme, mas essa mudança é mais uma da categoria “falar é fácil...”. Afinal, o comportamento inaceitável se tornou um hábito ruim e quando você optou por ser mais brando do que deveria, provavelmente sentia que seus motivos — amor pelos seus filhos e a vontade de vê-los felizes — eram válidos.

E são. Mas se produzem maus resultados são, na situação, a forma errada de manifestar o amor. Às vezes, a firmeza é a melhor demonstração de amor. Em geral, as crianças pensam em termos do que as fará mais felizes em curto prazo, de forma que cabe aos pais a responsabilidade de julgar o que será melhor para elas em longo prazo, o que muitas vezes significa dizer não.

Em seguida, é preciso que certas questões estejam claramente definidas para você. Exatamente o que determina se um comportamento é ou não aceitável? Antes de esperar convencer seus filhos de certas mudanças, é preciso estar plenamente convencido da validade das mesmas.

Se não tiver certeza do que fazer em uma situação, ore e peça a Jesus para lhe mostrar. Se não se sentir plenamente seguro de qual seria a melhor abordagem com seus filhos, peça-Lhe que a revele a você. Se achar que precisa instituir regras potencialmente difíceis de serem impostas, peça ao Senhor para fortalecer suas convicções. Quaisquer que sejam suas perguntas ou necessidades, Ele está pronto, disposto e é capaz de ajudá-lo. Ele ama os seus filhos mais que você e fará tudo que puder para ajudá-lo a ser o melhor pai ou mãe possível.

Na hora de impor as regras necessárias, os resultados serão muito melhores se forem construídas a partir de conversas com seus filhos do que simplesmente ditadas. Essa discussão — que inclui o pai e/ou a mãe escutar o que os filhos têm a dizer e se mostrarem flexíveis para negociar modificações — demonstra seu respeito por eles e os encoraja a cooperar. Provavelmente, o respeito será retribuído e assim terá sido dado o primeiro passo na direção certa.

A melhor abordagem na hora da explicação depende da idade e da maturidade da criança. E não há nada melhor que pedir o conselho do Senhor para saber como apresentar a situação para seu filho, pois o que funciona com um pode muito bem ser ineficaz com o outro.

Comece assumindo sua parcela de culpa e explicando a necessidade da mudança. Por exemplo: “Porque não parei a coisa no início, vocês adquiriram o hábito de me responder mal e serem desrespeitosos. Isso precisa mudar, porque esse comportamento é inaceitável em um lar em que existe amor, como o nosso deveria ser.”

É importante deixar claro não só as regras mas também quais serão as conseqüências caso o combinado não seja cumprido. “Se vocês retrucarem ou forem desrespeitosos, perderão [especifique um privilégio que será suspenso]”. As conseqüências devem ser consistentemente aplicadas, ou as regras não valerão de nada.

As promessas de castigo pelo mau comportamento devem ser acompanhadas pelo compromisso de recompensas no caso de boa conduta. “Tão logo esse problema seja solucionado, poderão reaver os privilégios suspensos e, possivelmente, acrescentaremos mais alguns”. Termine a conversa em um tom positivo.

E não se esqueça de orar por paciência. Lembre-se: o objetivo não é mudar o comportamento de seus filhos, mas as atitudes que o causaram e formar junto com eles hábitos positivos que substituam os indesejados. E isso demora. Oração, constância e firmeza temperada com amor, são ingredientes indispensáveis. Comprometam-se a mudar juntos e persistam até conseguirem!

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.