A necessidade de amor

A necessidade de amor

Neste mundo de dor, há uma necessidade de amor, uma necessidade real, muito real de amor... Ame seu irmão... uma necessidade de amor, uma necessidade de coração.” Essas palavras traduzidas da famosa canção do cantor colombiano Juanes refletem a necessidade universal da humanidade por amor.1 “Todos precisam de amor” diz outra música dos anos sessenta.2

E com os incontáveis conflitos sociais, surtos de violência, gritos de indignação, o flagelo da pandemia, junto com os “vírus” do egoísmo, egocentrismo, interesses pessoais e outras doenças de nossos dias, o que mais precisamos é de amor.

O amor que se traduz em ações, amor que estende a mão, que é amigo e gentil, que se coloca no lugar do outro e encontra uma maneira de ajudar sempre que possível. “Uma necessidade real, muito real de amor” a ser demonstrada por atos de bondade para com aqueles que cruzam nosso caminho no decorrer de um dia ou nas comunicações virtuais que se tornaram nosso novo normal na era da COVID-19.

Acredito sinceramente que se todos fizermos um pequeno esforço para sermos cordiais, verbalizarmos encorajamento, formos socialmente afáveis e ajudarmos mais, o “clima” do mundo melhorará e todos respiraremos um pouco mais facilmente. Se tentássemos não criticar as pessoas, mas víssemos seu valor independentemente da condição social, aparência ou qualquer outro preconceito com o qual possamos ser tentados, haveria menos reações violentas, mais diálogo e mais perdão.

Minha amiga Margaret me contou sobre um homem carrancudo e irritadiço que trabalha no estacionamento onde ela costuma deixar seu carro. Certa manhã, ela tentava sem sucesso operar o controle remoto para abrir o portão do estacionamento. Quando pediu ajuda ao atendente do estacionamento, recebeu uma resposta brusca: “A senhora não está usando o controle da maneira correta.”

No final, Margaret aprendeu a usar o equipamento, mas ficou pensando na atitude daquele homem. Por que ele agiu daquela maneira? Será que se sentia humilhado na frente das pessoas que alugavam vagas ali no prédio? Será que era tratado sem gentileza? O que poderia ser?

Então se lembrou do ditado “Um pouco de amor vai longe” e decidiu adotar uma atitude positiva, aprender o nome do atendente e sempre cumprimentá-lo com gentileza.

“Bom dia, Sr. Liborio. Como vai?”

Se via algo positivo que pudesse comentar, ela mencionava. “Oh, o senhor cortou o cabelo! Caiu-lhe muito bem.”

Por meio de atos simples, comunicou consideração por ele enquanto pessoa. Meses se passaram e o seu Liborio começou a mudar. Agora ele é mais suave, gentil e até gosta de contar piadas para ela.

“Quando alguém conta uma piada para você, é sinal de confiança”, diz Margaret.

Proponho uma Campanha de Amor ao som de Juanes e de muitos outros músicos que nos motivam com a mensagem em suas canções. Sejamos mais gentis, amáveis e mais humildes com os que estão à nossa volta. Pensar que somos melhores que os outros é arrogância. Como o apóstolo Paulo ensinou, devemos considerar os outros superiores a nós mesmos.3

Tal como Margaret, acredito sinceramente que cada pouquinho de bondade, cortesia e respeito que dividimos com os outros terá um grande impacto para recuperarmos o amor que se perdeu entre nós. Em todo lugar, onde quer que formos, busquemos dar vida aos versos de Juanes: “É hora de mudar os pensamentos de todos, ódio por amor. É hora de mudar.”4

Ao demonstrarmos amor às pessoas, nós lhes mostramos Jesus, que pode trabalhar em suas vidas e as motivar a se juntarem a nós em nossa campanha de amor. Juntos, podemos transformar esse mundo frio e insensível em um lugar mais caloroso, amoroso e um pouco mais como o céu.

* * *

Muitas vezes, subestimamos o poder de um toque, um sorriso, uma palavra gentil, um ouvido atento, um elogio honesto ou um pequeno ato de cuidado, todos com o potencial de mudar uma vida. — Leo Buscaglia (1924–1998)

Se você tiver bondade no coração, realizará atos de bondade —sejam eles aleatórios ou planejados—, que tocarão o coração dos outros aonde quer que você vá. A bondade se torna para você um modo de vida. — Roy T. Bennett

Não nos cabe bancar o juiz, o júri, determinar quem é digno de nossa bondade e quem não é. Precisamos apenas ser gentis, incondicionalmente e sem segundas intenções, mesmo — ou melhor, especialmente — quando preferiríamos não ser. — Josh Radnor (n. 1974)

Bondade significa construir pontes em vez de muros. — RAKtivist

O fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. — Gálatas 5:22–23

Tenham todos o mesmo modo de pensar, sejam compassivos, amem-se fraternalmente, sejam misericordiosos e humildes. — 1 Pedro 3:8 NVI

1. La tierra, por Juanes e a banda Ekhymosis
2. Love Makes the World Go Round, por Deon Jackson
3. Ver Filipenses 2:2–4.
4. Es tiempo de cambiar, por Juanes

Gabriel García Valdivieso

Gabriel García Valdivieso

Gabriel García Valdivieso (publica também como Gabriel Sarmiento) é o editor da Conéctate, a versão em espanhol da Contato. É tradutor, intérprete, poeta e escritor. Já viveu em três continentes fazendo trabalho missionário com a Família Internacional. 

Mais nesta categoria « Simplesmente amor
Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.