Ser um amigo

Ser um amigo

Ao dizer aos Seus discípulos: “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida pelos seus amigos”1, Jesus estava literalmente descrevendo como morreria para salvar a humanidade. Os eventos subsequentes provaram que Ele estava disposto a abrir mão de tudo por nós. O amor de Jesus é perfeito, assim como Sua amizade.

Às vezes, pergunto-me o que faria se me encontrasse em uma situação em que pudesse salvar uma vida à custa da minha, mas não acho que algum dia serei testado de forma tão dramática. A probabilidade maior é que os desafios de abnegação sejam mais banais e as oportunidades de “dar minha vida” se manifestem de formas mais triviais.

Passo tempo com um amigo que está vivendo um momento difícil e, por isso, não é a companhia mais divertida, ou arrumo uma desculpa e tento evitá-lo? Visito uma amiga doente —não apenas no início da doença, mas regularmente, se necessário? Se eu ganhar um ingresso para um jogo importante, será que estaria disposto a dá-lo a um amigo que gostaria muito de assistir à partida? Quando alguém tem uma chance excepcional de trabalho ou férias, fico feliz e entusiasmado por essa pessoa, ou tenho inveja da sua boa sorte? Quando meus amigos escolhem ir a um restaurante ou fazer algo que não é o que eu gostaria, sempre espero que eles se acomodem aos meus desejos?

Oportunidades de sacrifícios “desprovidos de nobreza” surgem no cotidiano e são testes mais válidos do meu caráter do que alguma situação hipotética de vida ou morte. Certamente não atingi o grau máximo de abnegação e trabalhar nesta edição da Contato me inspirou a tentar com mais afinco ser o amigo que, como diz a Bíblia, “ama em todos os momentos.”2

1. João 15:13 NVI
2. Provérbios 17:17 NVI
Mário Sant’Ana

Mário Sant’Ana

Mário Sant’Ana é editor da revista Contato desde sua primeira edição, em 2001. Mário é fundador e diretor do Projeto Resgate, uma organização sem fins lucrativos em Joinville, SC.

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.