Simplesmente amor

Simplesmente amor

Todo ano, na época de Natal, meu marido tem de suportar uma de minhas tradições particulares: assistir Simplesmente Amor.1 O filme tece em um único enredo várias histórias de uma forma totalmente previsível e melosa. Mas cada vez que vejo me emociono por uma parte diferente da história. Tento animar meu marido, mas não funciona! Isso me deixa um pouco triste, mas não entendo como alguém não pode ser atraído por todas aquelas demonstrações de amor, ternura e afeto.

Provavelmente o que mais gosto no filme é como retrata os tipos diferentes de amor: o amor entre familiares, o amor em luto, o amor romântico, o amor não correspondido, o amor abnegado, amor entre amigos, o novo amor e o antigo. Mostra como todos nos conectamos em nossas experiências humanas e como o amor está ao nosso redor, se estivermos dispostos a procurá-lo.

Uma das minhas falas favoritas está na introdução: “Parece que o amor está em toda parte. Às vezes não é tão dignificado ou digno de nota, mas está sempre lá. Pais e filhos, mães e filhas, maridos e esposas, namorados, namoradas, velhos amigos.” Às vezes leva um minuto para notar. Não só porque a vida é ocupada, mas também porque muitas vezes parece feia.

É fácil se deixar calejar, pensar na humanidade como um todo endurecido e cruel. Mas isso simplesmente não é verdade. O amor, na forma de bondade, amizade, compaixão, afeto, serviço e sacrifício está ao nosso redor. Ele se infiltra pelas rachaduras da indiferença, do ódio, da solidão, do preconceito, da dor, e nos conecta.

Segundo a Bíblia, “Quem ama é nascido de Deus e conhece a Deus.”2 Nossa habilidade de amar é a marca de Deus em cada um de nossos corações, mesmo para aqueles que não se autodenominam seguidores de Jesus. Todas as diferentes formas de amar são manifestações do nosso Criador. Em muitos aspectos, acho que nossa resposta ao amor é uma resposta a Deus.

Talvez você não goste de filmes muito sentimentais, mas espero que pare um minuto para notar o amor ao seu redor e espero que isso o faça feliz.

1. Richard Curtis. Universal Pictures, 2003.
2. 1 João 4:7

Tagged sob

Marie Alvero

Marie Alvero foi missionária na África e no México. Vive atualmente com seu marido e filhos a Região Central do Texas, nos EUA.  

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.