A ausência afeiçoa o coração

A ausência afeiçoa o coração

Vários meses depois que nosso terceiro filho nasceu, ainda lutava contra depressão pós-parto. Minha rotina diária estava se transformando em um contínuo de tarefas e prazos que eu sentia não estarem me levando a lugar nenhum, sem mencionar as intermináveis demandas de um bebê por cuidados e atenção. Minha mente estava constantemente cansada e meu coração, pesado. Eu não conseguia identificar o que estava me deixando mal.

Em contraste, meu marido entrou em uma fase de motivação. Acordava cedo para estudar e trabalhar, sempre procurando maneiras de preencher os momentos de seu dia da melhor maneira possível. Como eu não compartilhava da mesma empolgação em minha própria vida, descobri que estava ficando um pouco distante dele. Suponho que, de certa forma, eu tinha ciúmes do seu ritmo e raiva de mim mesma, por não ter me recuperado rapidamente da crise.

Finalmente reuni coragem para expressar ao meu marido o declínio emocional que estava experimentando. Se nada mais, isso o ajudaria a entender por que eu não parecia tão ativa e ligada. Depois de me ouvir pacientemente, disse que vinha pensando nisso, mas queria me dar tempo para lidar com os desafios que eu estava enfrentando. Apesar de essa conversa não ter resultado em uma recuperação imediata, me senti aliviada por pelo menos verbalizar o que estava enfrentando.

Dias depois, naquela semana, uma viagem de negócios levou meu marido para fora da cidade por vários dias. Foi a primeira vez em que ficou longe desde o nascimento do nosso terceiro filho. Fiquei surpresa com minha recuperação naqueles dias. A frase “a ausência afeiçoa o coração” se encaixava perfeitamente a mim. Em vez da distância eu sentia estar crescendo entre nós, senti um amor e admiração renovados por ele. Era como se eu visse claramente onde ele se encaixava em meu mundo–como marido, pai de nossos filhos e amigo.

Espero poder manter esta gratidão pelas bênçãos de minha vida–meu marido, meus filhos, o amor e a felicidade que iluminam meu mundo–ao longo de meus dias, mesmo naqueles dias em que as coisas parecem cinzentas e sombrias. Lembrar e apreciar o amor que preenche meu mundo adiciona ânimo ao meu espírito. Isso me lembra quão abençoada realmente sou.

Chandra Rees

Chandra Rees escritora freelance de conteúdos para crianças e mãe de cinco filhos.

Mais nesta categoria « Tempo para amar
Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.