O alegre doador

O alegre doador

Era uma manhã típica em nossa casa. Estávamos todos correndo para nos preparar para o dia, crianças se vestindo para a escola, café da manhã para fazer, lugares da casa para arrumar e eu tentando adiantar o jantar, fazer maquiagem e assim por diante. Minha caçula estava tentando pegar um copo de leite, mas não estava conseguindo, então pedi à sua irmã mais velha que a ajudasse. Por algum motivo, ajudar não foi fácil para ela naquela manhã. Ela revirou os olhos, pegou a xícara, despejou o leite apressadamente e largou-a com força. Isso desencadeou uma reação irritadiça da irmã mais nova, que evoluiu para uma discussão entre as duas. Nada agradável!

Quase a perdi a calma (de novo), mas disse: “Querida. sabia que existe uma diferença entre dar e dar com alegria? Entre servir e servir com alegria?” O conceito era um tanto quanto novo para ela.

A situação me lembrou da história de um homem rico e mesquinho. Ele não queria saber sobre os problemas financeiros do vilarejo onde morava e quando ajudava, era meramente por dever. Em um domingo de manhã na igreja, quando a cesta de ofertas passou, procurou a moeda de menor valor para doar. Então, para seu horror, percebeu que depositara por engano uma moeda de ouro na cestinha de ofertas.

Rapidamente, tentou pegar a moeda de volta, mas o que coletava as doações cobriu a cestinha com a mão e disse, “Depois que entra, não sai mais!”

O homem rico se consolou em voz alta: “Pelo menos vou receber crédito por isso no céu.”

“Não vai não”, respondeu o outro. “Você só receberá crédito pelo que pretendia dar!”

A Bíblia diz “Deus ama ao que dá com alegria.”1 Acho que Ele reconhece quando ajudamos uns aos outros com amor e boa vontade, porque é assim que Ele nos trata. Mas por que ficaríamos felizes em dar algo ou servir a alguém? Doar é difícil. Até mesmo colocar leite no copo da irmã tem um custo. O que levaria alguém a dar com alegria?

Jesus explicou quando disse: “Em verdade vos digo que, quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.”2 Ao servir aos outros, estamos sendo canais para o amor que Deus não pode dar pessoalmente. É como se estivéssemos fazendo boas obras ao próprio Jesus. Nem sempre é fácil lembrar disso no dia a dia. Às vezes nem quero me lembrar disso!

Não gosto de ser interrompida quando estou ocupada. Acho que minha filha também não gostou de ser interrompida para servir leite para a irmã mais nova. Mas já que serviu, por que não o fazer com alegria? Dessa forma, além de abençoar os outros, também será abençoada.

Conforme tentamos reagir com alegria às necessidades dos outros, podemos começar a notar uma mudança em nós mesmos. É possível que deixemos de ficar tão incomodados quando precisamos parar o que estamos fazendo para ajudar outra pessoa e que passemos a gostar dessa versão mais alegre e generosa de nós mesmos. Minha vida é melhor quando sou generosa. Meus filhos se comportam melhor comigo e uns com os outros. Meus amigos ficam mais felizes em nos visitar. É mais divertido estar com meu marido. A alegria torna tudo melhor.

* * *

Alguns acreditam que apenas um grande poder é capaz de manter o mal sob controle. Mas não é isso que tenho visto. Descobri que são as pequenas ações cotidianas de pessoas comuns que mantêm a escuridão distante. Pequenos gestos de gentileza e amor. —Gandalf, em O Hobbit — A Batalha dos cinco exércitos, por J. R. R. Tolkien

1. 2 Coríntios 9:7
2. Mateus 25:40

Mara Hodler

Mara Hodler é escritora freelance. Este artigo foi adaptado de um podcast disponível em Just1Thing, um website dedicado à formação do caráter cristão para o público jovem.

Mais nesta categoria « Não espere A oferta da viúva »
Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.