Desvelo

O bom maquinista

O escritor britânico Bernard Hare conta1 a história de um incidente que mudou sua vida, transformando-o, em suas palavras “de um hedonista egocêntrico potencialmente violento para um ser humano”.

Em 1982, quando era estudante em Londres, foi informado que sua mãe havia sido internada e que tinha poucas chances de passar daquela noite. Hare partiu imediatamente para o Norte do país.

Lembrando Martha

Minha vizinha faleceu esta semana, depois de uma longa luta contra enfisema. Vou sentir sua falta e tenho pensado muito nela nos últimos dias.

Quando meu marido Dan e eu mudamos para a vizinhança, Martha nos convidou para tomar chá com biscoitos. Sentamos em sua sala impecável, falamos sobre nossa família e sobre o trabalho voluntário que fazíamos no México. Sentimo-nos em casa e fiquei feliz por morar perto de alguém como ela, que fez questão que nos sentíssemos bem-vindos.

Vela no candelabro

Manifestar o amor de Deus para aqueles que Ele coloca em nosso caminho cada dia é a essência da vida cristã. O Apóstolo Paulo foi enfático ao explicar o porquê: “O amor de Cristo nos constrange”.1

Independentemente da forma como orienta cada um a alcançar sua respectiva parte do mundo com Seu amor, Deus nos chamou para sermos “a luz do mundo” e para deixarmos nossa luz brilhar diante dos homens para que vejam nossas boas obras e glorifiquem ao nosso Pai que está no céu.2

Anjo ou não

Em Hebreus 13:2 lemos: “Não vos esqueçais da hospitalidade, pois por ela alguns, sem o saber, hospedaram anjos.”

Conheço esse versículo desde criança e me lembro de imaginar que as pessoas com quem eu interagia seriam anjos disfarçados e, por isso, tentava ser educada e simpática na maior parte das vezes. Infelizmente, conforme fui crescendo, ficou mais fácil bancar a durona e manter os outros a certa distância.

Por trás de um sussurro

Entrou na loja acompanhado por outro jovem provavelmente da sua idade. Bem vestido, demonstrava a autoconfiança típica da juventude de hoje, ou seja, superficial e esconderijo para sentimentos de insegurança e, possivelmente, algumas cicatrizes emocionais profundas.

Gosto de observar gente. O que pode ser mais fascinante, misterioso e cativante que a vida humana? O que está por trás da expressão de normalidade, do bom gosto ao vestir e do cabelo bem feito?

Amor além dos limites humanos

É um desafio e tanto cultivar o hábito de pensar nos outrose tentar ajudá-los em suas necessidades, especialmente quando isso envolve sacrifício pessoal! É bem mais fácil ser preguiçoso, egoísta e individualista. É nossa tendência natural. Nossas primeiras reações são, tipicamente, defender nossos próprios interesses: o que queremos fazer e o que nos fará feliz. Mas com a ajuda de Jesus podemos desenvolver hábitos e reações, os quais, com o tempo, nos ajudarão a ser mais amorosos, solidários e abnegados.

Amigos de verdade

Na adolescência, eu achava que sabia tudo. Tinha muitas inseguranças, mas nem por isso me faltavam opiniões — e fortes! Hoje sinto pena de meus pais. Tenho certeza que não foi fácil me educar, especialmente naquela fase. Como fazem muitos jovens, afastei-me deles porque não gostava do fato de serem mais rígidos que os pais de alguns dos meus amigos. Estava convencida de que não me entendiam, e era verdade! Nenhum de meus irmãos mais velhos fora como eu. Questionava tudo e tinha grandes dificuldades para obedecer às regras. Aparentava ser uma pessoa dura, mas, no fundo, tudo que eu queria era encontrar alguém que de fato me entendesse.

Bondade em ação

É um grande erro pensar em grandiosidade sem bondade. E isso digo na certeza que jamais houve um homem verdadeiramente grande que não tenha sido, ao mesmo tempo, verdadeiramente virtuoso.
—Benjamin Franklin (1706–1790)

*

Faça todo o bem que puder, de todas as formas que puder, a todas as almas que puder, em todo lugar que puder, com todo zelo que puder, por tanto tempo quanto puder.
—John Wesley (1703–1791)

<Page 7 of 11>
Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.