Distribua gentileza

Distribua gentileza

Faz alguns meses, durante um voo, havia uma menina sentada à minha frente, do outro lado do corredor. Tinha um lindo livro de colorir que a mãe, obviamente, havia comprado especialmente para a viagem. Na mesma fila se encontrava outra garota, provavelmente da mesma idade, cujo pai ocupava o assento atrás do seu. Ela não tinha um livro de colorir ou nada que ocupasse seu tempo.

A primeira logo se pôs a colorir usando os lápis-de-cera que espalhara na mesa da poltrona, dos quais a segunda não tirava os olhos. Fiquei com pena da que não tinha nada, então pedi a Deus que a primeira se sensibilizasse e deixasse a vizinha de poltrona partilhar da diversão. E foi o que aconteceu: destacou uma página do livro e deu para a outra, com quem também dividiu os lápis de colorir.

Inclinei-me através do corredor e disse para a dona do livro de colorir que fora muito bonito o que ela havia feito. A menina ficou toda sorridente e feliz por alguém ter notado. Não sei que efeito aquele rápido diálogo terá no futuro, mas gosto de pensar que, da próxima vez que ela tiver de fazer uma escolha entre compartilhar algo ou não, se lembrará da mulher que a parabenizou por haver tomado a decisão certa.

Todo mundo deseja ser reconhecido. Acredito que Deus queira animar as pessoas, mas, muitas vezes, precisa de nós para isso. Se achar que lhe faltam tempo, energia e expertise para isso, não se preocupe. Muitos temos esse problema. Contudo, todos podemos ser generosos com nossas palavras de ânimo e espalhar o amor de Deus por onde formos. Em apenas alguns minutos, podemos fazer uma diferença no ponto de ônibus, no metrô, ao atravessar a rua, na escola, via Internet, durante um passeio, etc. Nossas palavras não precisam ser profundas ou eloquentes —mas simples o bastante para atender à necessidade de amor, esperança, significado ou consolo.

Ao fazer contato com alguém, podemos nos perguntar: O que posso dizer para essa pessoa que a ajude de alguma forma? Que posso dizer para animar seu espírito, alegrar seu dia e fazer com que se sinta bem com ela mesma, valorizada, reconhecida, digna e que sua contribuição é relevante?

Todos gostam de saber que o que fazem é importante. As pessoas gostam quando elas e o que fazem têm reconhecimento. É possível que nossas palavras de encorajamento sejam apenas um degrau na escalada de alguém. Talvez vejamos os resultados de nossa atitude, ou talvez não. Mas o importante é darmos nossa contribuição. Como o amor nunca falha, não importa se acontecer de a pessoa não perceber nosso encorajamento naquele momento. O que vale é que se sintam amadas, valorizadas e reconhecidas. É um privilégio poder distribuir bondade.

Mesmo se nosso contato com alguém for rápido, uma “palavra dita a seu tempo”1 alimentará na pessoa a fé em si própria e que há pessoas no mundo que são boas, ternas e atenciosas. Isso pode levá-la a pensar no Homem de Amor, inspirador dessas qualidades. Se nada mais, pode ser uma semente que você plantou ou regou, que no futuro produzirá fruto.

* * *

Já notou quanto tempo Cristo passou fazendo atos de bondade —meros atos de bondade? Se analisarmos veremos que muito do que Ele fez era simplesmente para fazer as pessoas felizes, sendo bom para elas.

Deus deixou a nosso encargo a felicidade daqueles que nos cercam e isso em grande parte se consegue pela maneira como as tratamos.

“A melhor ação” —alguém já disse, “que um homem pode realizar pelo Seu Pai Celeste, é ser bom com Seus outros filhos.” Por que será que não somos mais bondosos, considerando que é algo tão fácil? Um ato de bondade tem ação imediata e é inesquecível. As recompensas que produz são abundantes

Certa vez ouvi que “o melhor que alguém pode fazer pelo seu Pai Celestial é ser bom com Seus outros filhos.” Fiquei pensando no que nos impede de sermos mais bondosos. É uma necessidade tão grande! A bondade jamais é esquecida. Seus efeitos são imediatos e a recompensa é abundante. Não há devedor que tão bem e tão generosamente quite uma dívida como o amor.

Henry Drummond (1851-1897)

A glória da vida
É amar, não ser amado;
É servir, não ser servido;
Ser para os outros uma mão forte na escuridão
E em tempo de necessidade;
Ser uma taça de alento a qualquer alma
Numa crise de fraqueza
Isso é conhecer a glória da vida
Autor anônimo

1. Provérbios 25:11

Maria Fontaine

Maria Fontaine

Maria Fontaine divide com seu marido, Peter Amsterdam, a administração e orientação espiritual da Família Internacional, uma comunidade de fé dedicada a compartilhar o Evangelho de Jesus Cristo ao redor do mundo. É autora de diversos artigos sobre a vida segundo a fé cristã. (Os textos escritos por Maria Fontaine usados na Contato são adaptações.)

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.