O jogo dos corações

O jogo dos corações

Imagine participar de um jogo no qual você compita apenas consigo mesma e fará o bem no processo? Quer entrar no “Jogo dos Corações”?

No ano passado, quando minha filha descobriu que seu câncer de mama havia voltado, minha mente se viu tomada por pensamentos depressivos e desesperadores noite após noite.

Foi um inverno longo e frio. Não encontrava mais alegria ou conforto nas coisas que me eram queridas, como a manta de neve branca no inverno. Comecei a sentir raiva daquela neve e do ar gelado. Como eu ansiava pelo calor de alguns raios de sol, para romper a melancolia!

E um pouco de sol veio, de uma forma inesperada.

Em uma conversa com um amigo, mencionei casualmente que, durante uma viagem de trem comecei a conversar com outro passageiro e “como foi bom se concentrar em outra pessoa”. “Que ótimo!” — disse ele. “Vamos transformar isso em um jogo.” Então, começamos a escrever um para o outro histórias de pessoas que tínhamos conhecido, com quem havíamos feito contato ou de alguma forma ajudado. Além de fazer o bem, isso me ajudou a manter a minha sanidade naquele período difícil da minha vida, forçando-me a procurar oportunidades e histórias que pudessem compartilhar com meu amigo

Desde então, expandimos para incluir um grupo de voluntários nas ruas do centro de Rijeka, na Croácia, como parte do nosso acampamento de verão para a juventude.1

Aqui está um resumo das instruções do jogo:

  • Faça pequenos atos de amor, de preferência para desconhecidos, no seu caminho para a escola, para o trabalho, ou em um passeio em algum lugar.
  • Esses atos de bondade podem ou não envolver uma comunicação verbal.
  • Você pode engajar nesse jogo em qualquer lugar, a qualquer hora, sozinho ou com outro jogador.
  • Não há nenhuma tática secreta. Na verdade, é melhor compartilhar seus segredos e experiências, embora a ideia não seja se gabar de suas boas ações.

O objetivo é aumentar a consciência da necessidade universal de amor e perceber que ele nunca se esgota. É algo que podemos dar, dividir e compartilhar, mas que sempre volta para nós. Também demonstra a importância de pequenas coisas, a influência que podemos ter sobre os outros sem necessariamente termos de fazer nada incomum ou grandioso.

1. Saiba mais sobre o Jogo dos Corações e assista-o em ação aqui.

Anna Perlini

Anna Perlini é cofundadora da organização humanitária Per un Mondo Migliore, com atuação na região da antiga Iugoslávia, desde 1995. 

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.