Abacate

Abacate

Eu simplesmente adoro abacate! Além de ser simplesmente delicioso, é uma fruta versátil, sem falar que é incrivelmente saudável e uma das melhores fontes de óleos naturais e muitas vitaminas.

No Chile, onde passei boa parte da infância e adolescência, o abacate ou “palta” como dizem lá é muito frequente nos pratos típicos do país, inclusive uma variedade de saladas, sanduíches e até no cachorro-quente. Sempre me impressionou como a adição de algumas fatias de abacate à salada, ou uma camada de guacamole a um burger ou sanduíche pode transformá-lo completamente. Transforma uma “comida normal” em algo glorioso. Pelo menos essa é minha opinião. O abacate é um componente básico da minha dieta, combina com quase qualquer coisa para mim e o consumo inclusive em lanches ou pequenas refeições. Corto a fruta na metade, adiciono um pouco de sal e pimenta, espremo um limão sobre tudo isso e eis a perfeição.

Acho que o mais fantástico no abacate é seu poder transformador, que me faz pensar no que a bondade ativa e a compaixão adicionam às nossas vidas. Há muitas coisas que fazemos em nosso trabalho ou no cuidado pela nossa família, ou como cidadãos conscientes que são coisas boas, simpáticas, agradáveis e necessárias, mas há muitas que se tornam, podemos dizer, “default”.

É como uma placa que está na parede há tanto tempo que você não a vê mais. Às vezes, as coisas que fazemos pelos que nos cercam sofrem do mesmo efeito. Não percebemos quando as fazemos e os beneficiários não se mostram particularmente gratos por elas. Ou deixamos de perceber ou reconhecer como deveríamos o que os outros fazem por nós. Tanto numa situação quanto na outra, quando vamos além e adicionamos um pouco de “abacate” na forma de… digamos… algumas palavras de boas-vindas ou reconhecimento, faz uma grande diferença.

Recentemente, fiz uma viagem de ônibus que durou alguns dias. Sou acostumada a viajar e não me importo com trechos longos, mas, é claro, prefiro quando o assento ao meu lado está vazio. Dessa vez, o ônibus estava se enchendo e cheguei a pensar que teria os dois bancos para mim, mas um jovem se aproximou e pediu para sentar ao meu lado. “Claro que sim” — respondi. Ele sorriu e disse “Nunca ninguém me diz ‘claro que sim’. Isso é muito bom.” Procuro me esforçar para ser gentil com estranhos — muitos estranhos já foram gentis comigo e gosto de lembrar das vezes que fui cortês com alguém.

Conversamos por um tempo e foi muito agradável. Depois cada um de nós colocou seus earphones e relaxamos em nossos assentos. Havia uma sensação agradável e acolhedora no ar — muito melhor que o sentimento às vezes constrangedor que acontece com alguns vizinhos de ônibus. A viagem foi tranquila e prazerosa, como um abacate.

Você provavelmente já ouviu no “Princípio de Pareto”, também conhecido como princípio 80/20. O conceito é que 80% da efetividade de alguém deriva de 20% de seus esforços. Adivinhe sobre o que eu estava pensando nesse princípio. Acertou: abacates. Sinto que (e isso é uma opinião absolutamente pessoal) apesar de constituírem cerca de 20% ou menos do conteúdo de uma refeição deliciosa, com certeza geram 80% do prazer do seu sabor. 

Voltando à importância de ser sensível e afirmativo na prática da bondade, penso ser justo dizer que se aos nossos atos rotineiros adicionarmos algumas palavras generosas e toque pessoal, então 20% do esforço certamente vai produzir 80% do que a outra pessoa se lembrará daquela experiência com você.

* * *

Somos constituídos de forma que simples atos de bondade, tais como doar para caridade ou expressar gratidão, tenham um efeito positivo no nosso humor de longo prazo. O segredo para a vida feliz, parece, é a vida boa: uma vida com relacionamentos duradouros, trabalho desafiador e boas conexões com a comunidade.—Paul Bloom (n. 1963), professor de Psicologia e Ciência Cognitiva na Universidade de Yale

80/20

Em 1906, o economista italiano, Vilfredo Pareto observou que 80% das terras da Itália pertenciam a 20% da população; que 80% das ervilhas em sua horta vinham de 20% das plantas dessa espécie. O Princípio de Pareto —que em geral 80% das consequências resultam de 20% das causas — foi observado e estudado em vendas e marketing, gestão, tecnologia, economia e outros campos. 

Jessie Richards

Jessie Richards participou na produção da revista Activated de 2001 a 2012 e escreveu diversos artigos para a revista. É também escritora e editora para outras publicações cristãs e sites da internet.

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.