O homem de terno cinza

O homem de terno cinza

John suspirou quando empurrou o carrinho para a frente na fila e olhou para o relógio de seu telefone pela terceira vez. 40 minutos! Quanto tempo vai demorar? Um problema técnico havia afetado vários caixas do supermercado e os clientes foram direcionados para o único caixa que ainda funcionava. E eu só tenho alguns itens, ele pensou. Não sei se vou chegar a tempo para meu compromisso. O tráfego da tarde vai piorar.

Seus pensamentos foram interrompidos por uma comoção atrás dele. Instintivamente chegou para o lado e deu passagem para uma mulher corpulenta que, irritada e com os braços carregados de mantimentos, abria caminho à força. Queixando-se em voz alta sobre quanto tempo havia esperado, avançava em direção ao caixa.

Ninguém tentou impedi-la até que, quando estava quase chegando ao caixa, um homem alto em um terno cinza estendeu seu braço, bloqueando sua passagem. A mulher parou. Todos na fila estavam atentos para ver o que aconteceria na sequência.

“Senhora”, o homem falou calmamente, “todos aqui estamos cansados de esperar. Alguns têm compromissos, filhos à espera na saída da escola e outros ainda têm voos para pegar”. Então fez uma pausa. “Nada pode ser feito neste momento além de aguardar pacientemente sua vez. Por favor, volte ao seu lugar na fila.”

A mulher olhou em volta para os outros clientes, todos com aparência cansada aguardando silenciosamente sua vez, mordeu o lábio, virou-se e lentamente retornou para seu lugar. Todos deram um suspiro silencioso de alívio por a situação ter sido resolvida.

A fila continuou seus avanços centimétricos. Quando chegou a vez do homem de terno cinza ser atendido, fez o inesperado: virando-se, chamou a mulher para que tomasse seu lugar.

A mulher quase deixou cair suas compras. Os clientes saíram do caminho para deixá-la passar. Aos tropeções chegou ao início da fila, pedindo desculpas e agradecendo ao cavalheiro, que permaneceu em silêncio. Ela pagou seus itens, foi embora e a fila seguiu seu curso sem problemas.

Refletindo sobre toda a situação, John se lembrou de uma citação que lera naquela manhã em seu momento devocional: “Trate todos com gentileza, mesmo aqueles que são rudes com você, não por serem agradáveis, mas porque você o é”. Ele tinha acabado de ver um exemplo prático disso.

Li Lian

Li Lian é uma profissional certificada pela CompTIA e trabalha como administradora de sistemas e serviços para uma organização humanitária na África.

Mais nesta categoria « O pacificador
Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.