Steve Hearts

Cego de nascença, Steve Hearts é escritor, músico e membro da Família Internacional na América no Norte. 

Encontro com o Consolador

Em João 14:26, Jesus prometeu que após deixar este mundo, enviaria o Espírito Santo para confortar Seus seguidores: “O Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em Meu nome, vos ensinará todas as coisas.”

Essa promessa está gravada na minha memória desde a infância. Mas foi só quando cheguei aos meus vinte e poucos anos que encontrei “o Consolador” para mim.

Ocultando cicatrizes

Todos passamos por experiências que nos deixam cicatrizes, as quais, sejam elas físicas ou emocionais, muitas vezes tentamos esconder, com medo do que os outros possam pensar se as virem. Essas cicatrizes podem ser qualquer coisa sobre nós das quais temos vergonha e tentamos ocultar —como mágoas do passado, lutas internas, traços físicos dos quais não nos orgulhamos, etc. Ao longo da minha vida, aprendi que existe uma grande liberdade em sermos abertos sobre nossas cicatrizes, em vez de escondê-las. Aqui está um exemplo de uma das minhas ditas cicatrizes da qual aprendi a não me envergonhar.

Virando a página

Às vezes, é difícil aceitar que, para abraçarmos plenamente o futuro, devemos deixar para trás não só o passado distante, mas também o recente. Isso pode ser especialmente difícil em tempos de grandes transições, como quando se está saindo de um relacionamento, mudando de emprego ou de casa.

Deus e eu

Recentemente, eu estava refletindo sobre como minha perspectiva em relação aos milagres evoluiu ao longo da vida. Desde criança, comparava-me com pessoas que tinham presenciado curas, ressurreições e outros milagres dramáticos, achando que eram experiências que me faltavam.

Levantamento de peso espiritual

Um dos exercícios que mais gosto é levantamento de peso. Não faço isso para modelar o corpo, mas só para tonificar meus músculos e manter a forma. E acho interessante como o levantamento de peso ilustra bem nosso crescimento espiritual.

Melhor que a luz

É comum imaginar a vida na terra como uma grande estrada perpassando planícies, colinas, vales, montanhas e túneis. Já estive em trechos com cada uma dessas características e confesso que os túneis não me agradam. É onde o futuro parece incerto e o caminho se revela apenas um passo de cada vez. Minha situação nos últimos meses teve uma grande dose de espera para ver como as coisas se desenrolariam e muito cuidado no avanço lento de um passo de cada vez.

Ganhar por dar

É mais fácil falar sobre a generosidade do que ser generoso. Isso é especialmente verdade quando há alguma dose de sacrifício real envolvida, apesar de a Bíblia deixar claro que Deus homenageia e muito esse tipo de doação.

De olho na meta

Alcançar uma meta ou realizar algo é algo importante. Este é um primeiro passo importante. Para alguns, pode ser a busca de um novo empreendimento; para outros, a aquisição de uma habilidade e há os que querem mudanças em seus hábitos ou estilo de vida. Seja qual for o caso, o esforço, a perseverança e muitas vezes o sacrifício são necessários para que sonhos se tornem realidade. Uma vez que percebamos isso, cabe-nos decidir quanto queremos alcançar nosso objetivo, qualquer que seja ele, e quanto estamos dispostos a dar de nós mesmos para vermos nossos sonhos realizados. É onde entra a importância da motivação.

Esconderijo

Nos momentos tempestuosos, muitas vezes nos esforçamos tanto para encontrar uma saída ou sermos resgatados que nos esquecemos de procurar o verdadeiro e mais seguro abrigo e refúgio.

Ontem à noite, não conseguia dormir de jeito algum. Estava passando por uma fase de desânimo, dúvidas e frustração. Não conseguia relaxar mental nem fisicamente. Era difícil impedir meus pensamentos de vagarem por lugares não desejados.

Sapatos de Natal

A época de Natal é sem dúvida, a parte do ano que mais gosto e origem das melhores memórias que guardo. Eu tinha seis anos e nevava muito naquele dezembro quando minha família voltou para os EUA depois de anos nas Filipinas, onde realizou uma obra missionária. Foi quando conheci meus avós e vi neve pela primeira vez. Aos 15 anos, passei a noite de Natal tocando percussão em uma banda de Washington D.C. que tinha vindo para o México para uma série de concertos beneficentes. Foi muito maneiro.

<Page 1 of 2>
Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.