Família - Novembro de 2019

Há famílias de todos os formatos e tamanhos. As alegrias e desafios que cada uma vivencia variam com o tempo. Esta edição discute como os vários estágios da vida familiar dialogam com o mais amplo ciclo da vida.

Fases da vida

Fases da vida

Li recentemente uma definição de família que adorei: “A família é a bússola que nos orienta; a inspiração para atingirmos as alturas e o amparo para quando caímos.”

Mas famílias não são entidades estáticas. Na verdade, uma das muitas coisas que mudam com as fases da vida é nossa relação com a própria família. Como disse o filho de três anos de um amigo: “Primeiro, você é um menino; depois vira pai; e, depois, avô.” A simplicidade da sabedoria infantil!

Gratidão pelas memórias

Gratidão pelas memórias

Na minha infância, nos EUA, minhas expectativas em torno do Dia de Ação de Graças eram quase tão grandes quanto as que precediam o Natal. As cores do outono adicionavam dramaticidade ao evento: os tons de marrom, amarelo, laranja e vermelho decoravam a paisagem de árvores de madeira de lei no Vale de Ohio, como se toda a região se elevasse em louvores e gratidão a Deus pelo verão caloroso e iluminado que Ele lhe havia dado. Era o derradeiro reconhecimento da glória de Deus antes de finalmente deixar que se escapassem de seus galhos as folhas, que flutuavam para se espalharem sobre o solo e generosamente fertilizá-lo.

Valorizando o envelhecimento

Valorizando o envelhecimento

Desde que completei 70 anos, tenho pensado mais nas vantagens de envelhecer. Como muitos sabem, essa fase da vida chega trazendo perdas e dificuldades, mas também proporciona muitas coisas boas. Vou aqui compartilhar minhas experiências e reflexões a respeito desses benefícios. Entendo que nem todos os leitores têm idade para aplicar já este conteúdo às suas vidas, mas talvez tenham interesse em ler por amor a amigos e parentes mais velhos.

Um novo começo

Um novo começo

Meu marido e eu recentemente voltamos a viver sozinhos. Nos 40 anos em que criamos dez filhos nunca me imaginei nesta situação!

Sempre fomos uma família muito unida, mas, como é típico, os filhos crescem e se mudam. Chorei em cada uma dessas separações, pois parecia que um pedaço do meu coração estava sendo arrancado.

Imperfeito, mas certo

Imperfeito, mas certo

Recentemente, decidi participar de algumas aulas gratuitas de tricô e crochê oferecidas em um centro comunitário. A ideia de aprender é mais atraente para mim aos 63 anos do que o foi em outros tempos. Além disso, eu tinha esperança de que ajudaria a combater o estresse, algo que meu médico recentemente me alertou estava afetando a minha saúde.

Amar enquanto posso

Amar enquanto posso

Desentendimentos com meus pais marcaram meus anos de faculdade. Tivemos uma discussão sobre o tempo que eu gastava para expandir minha vida social, meu novo amor pelos talk-shows, meu desejo de comprar uma moto e uma miríade de outras coisas, triviais em retrospecto, mas de grande importância para mim na época. Via meus pais como guardiões antiquados bloqueando meu caminho para o pleno gozo do auge da minha vida.

Uma aula de bondade

Uma aula de bondade

Faz alguns anos, nossos vizinhos deram sua cadela para um amigo. Não muito tempo depois, esse homem morreu e a cachorra voltou para nossa rua, só que seus antigos donos haviam se mudado. Mais magro e mais frágil a cada dia, o animal cavou um buraco sob nossa cerca, pelo qual passava para se alimentar das sobras de ração deixadas por nossos cachorros em suas vasilhas.

Cada um é singular

Cada um é singular

Um bebê enche nossas vidas de uma alegria especial e renova nossa esperança. É uma alma vivente, formada pela união de um espírito criado por Deus com os elementos físicos de seu corpo. É o que William Wordsworth descreve com muita beleza:

Criando uma família

Criando uma família

No consultório médico onde trabalho, temos uma paciente chamada Blender. Ainda não tive a oportunidade de lhe perguntar por que seus pais lhe deram o nome de um eletrodoméstico [N.T. Em inglês, “blender” significa liquidificador]. Talvez signifique algo belo em outro idioma. Não faço ideia!

Opa e eu

Opa e eu

Meu avô, a quem eu chamava “Opa”, e eu éramos inseparáveis. Ele aguçava meus instintos e compartilhava comigo seu amor pela natureza durante nossas caminhadas semanais pelas matas.

Cada semana, eu esperava ansiosa o momento quando meus pais me deixavam no apartamento de um quarto onde viviam Opa e Oma (minha avó) em um pequeno centro industrial da Alemanha.

Aprenda com as crianças

Aprenda com as crianças

Ao ver as crianças brincando felizes e despreocupadas, muitos adultos desejam ser crianças outra vez. Parecem tão cheias de paz, felicidade e sem nenhuma inquietação. Riem fácil, desfrutam o que fazem e se empolgam com as coisas mais simples. Quando se preocupam, é por algo menor e dura pouco. É provável que passem mais tempo do que você sendo felizes e desfrutando a vida.

Copyright 2019 © Activated. All rights reserved.