Minha torre de Jenga

Minha torre de Jenga

Um dos meus jogos favoritos envolve desmanchar coisas. É um jogo de alto risco, no qual, por mais habilidoso que seja o jogador, as coisas podem dar errado muito rapidamente e ser o fim.

Uma partida de Jenga começa com uma torre de blocos de madeira empilhados. Cada nível é formado por um grupo de três peças paralelas adjacentes, perpendicular ao do próximo nível, até o último.

Os jogadores se alternam removendo um bloco qualquer e colocando-o no topo da torre, para formar um novo andar, até que a torre esteja tão enfraquecida que caia. A pessoa que mover o último bloco antes de a torre cair, perde. Simples e estressante.

Quando comecei a jogar, tentava remover os blocos com as funções estruturais mais importantes, só para provar que era capaz. Às vezes, dava certo, mas, muitas vezes, tudo desmoronava, literalmente. Demorei para aprender um jeito seguro de jogar que me rendesse vitórias mais frequentes. Aprendi minha lição. Será que aprendi mesmo?

Olhando para minha vida hoje, vejo que ainda tenho a tendência de jogar com a estratégia errada. Com minhas tarefas, planos e necessidades construo uma pilha imponente e muito maior que minha capacidade de gerenciar. Então começo removendo os blocos mais importantes: meu tempo em oração e leitura da Palavra de Deus e, na sequência, subtraio minha família, meu sono, minha alimentação e minhas atividades físicas. Todo o tempo, digo a mim mesmo que as coisas estão indo bem e a torre de minha vida ainda está de pé. Ignoro os avisos de que eu esteja jogando de forma arriscada e, arrogantemente, confio na minha capacidade de equilibrar tudo em uma base cada vez mais enfraquecida. O fato, porém, é que nunca dura. É uma questão de tempo — e muitas vezes na pior hora possível — para a torre da minha vida desmoronar. Mas não precisa ser assim.

Jesus prometeu que quem construir sobre a “A Rocha” estará seguro, protegido e até será considerado sábio. O apóstolo Paulo também advertiu que “ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo”.1 A mensagem é clara: dê prioridade ao que é mais importante e construa a torre de sua vida sobre um alicerce confiável. Em seguida, mantenha as peças que a sustentam. Se tiver que reduzir o número de peças que formam a pilha, remova as que não são estruturais. Nosso tempo é limitado. Cada dia traz muitos desafios, assim como a tentação de abrir mão do que achamos prescindível. Mas Jesus, a oração e a comunhão com outros crentes são os blocos que manterão a torre da minha vida estável.

1. 1 Coríntios 3:11 NTLH

Chris Mizrany

Chris Mizrany

Chris Mizrany é missionário, web designer, e fotógrafo na organização Helping Hand, sediada na Cidade do Cabo, África do Sul.

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.