A jornada de um peregrino

A jornada de um peregrino

Adoro viajar pela Ferrovia Trans-australliana, que conecta Sydney, na costa leste atlântica, a Perth, no outro lado do país, banhado pelo Oceano Índico. A estrada cruza três fusos horários ao longo dos seus 4.352 quilômetros de extensão, maior que distância entre Londres e Istambul.

A maior parte das 65 horas de viagem acontece pelas paisagens mais acidentadas e inóspitas do mundo. Uma delas, Nullarbor, lembra a superfície lunar, só que é vermelha. O nome deriva da expressão latina nullus arbor — “sem árvores”. E assim é a região cujo solo calcário e estéril se espalha até onde alcançam os olhos dos passageiros do trem. A ferrovia cruza aquela planície por 478 quilômetros sem o menor sinal de curva. É a mais longa reta ferroviária do mundo.

Após um percurso que parece interminável, o trem chega a Perth. Parece outro mundo. A riqueza do lugar, suas lindas ruas, os prédios luxuosos, os parques e espaços abertos, o lindo rio que entrecorta a paisagem urbana e desemboca no mar… É difícil acreditar que momentos antes estávamos no meio de um território imenso, cercados por nada além de poeira e arbustos retorcidos ao lado de uma cidade moderna e reluzente.

Que analogia com a passagem do cristão por esta vida! Como um peregrino neste mundo temporário, a melhor maneira de viajar é pelo caminho determinado por Deus, como o trem que se desloca pela estrada estreita construída para ele. Com a ajuda do Espírito de Deus, podemos atravessar o deserto deste mundo com a paz e o conforto que Ele dá.

Além disso, uma cidade reluzente nos aguarda no fim de nossa jornada — construída não pelas mãos dos homens, mas por Deus, o grande Criador. Como descreve Apocalipse 21, é um lugar diferente de qualquer outro, preparado para Seus filhos que O amam e permanecem no Seu amor. Diferentemente do que se observa nos espaços urbanos construídos pelos homens, nessa cidade abunda a bondade e o mal não entra. Ao lá chegarmos, teremos deixado para trás o calor, a poeira e a inospitalidade desta terra. “Pois as angústias passadas serão esquecidas… Não haverá lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão.”1

Viajemos, portanto, pelo caminho que Deus construiu para nós, desfrutando da viagem e cientes de que Ele está conosco em todo o trajeto e nos conduzirá sãos e salvos até nosso destino celestial.

1. Isaías 65:16–17

Uday Paul

Uday Paul

Uday Paul vive em Mumbai, Índia, onde leciona Inglês e cursos para o desenvolvimento da personalidade. Atualmente está envolvido em um projeto em que ensina inglês para adolescentes de famílias de baixa renda, para que tenham melhores oportunidades de êxito na vida.

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.