O coração de um herói

O coração de um herói

Lembro de ter memorizado Hebreus 11 quando era criança. O capítulo traz detalhes de sofrimentos e mortes horríveis: “Foram apedrejados; serrados pelo meio; mortos ao fio da espada. Andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, necessitados, aflitos e maltratados (dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos e montes, e pelas covas e cavernas da terra.”1

Essa passagem me fez pensar na dor que deve ser morrer. Reconhecendo que sou bem medroso no que se refere à dor, tentei imaginar qual seria a forma menos dolorosa, pois, se pudesse escolher, optaria por essa. Entendam que eu não queria de forma alguma envergonhar Deus sendo totalmente covarde.

Hoje lembro dos meus receios de criança e sorrio. Vejo que o x da questão era pensar que me faltava coragem. Alguns dias atrás, porém, quando trabalhava em um artigo, tive de procurar a definição de coragem. O vocábulo tem origem no francês “coeur” que significa coração. Um site de etimologia explica que a palavra original francesa significa “coração, sentimentos mais profundos, temperamento. No inglês medieval, o termo era usado principalmente para exprimir ‘o que está na nossa mente ou pensamentos’ portanto ‘bravura’, mas também significava ‘ira, orgulho, confiança, desejo’ ou qualquer tipo de inclinação. “2 A definição atual de coragem é “a força mental ou moral para se aventurar, perseverar e superar o perigo, o temor ou a adversidade.”3

A Bíblia relata inúmeras histórias de homens que realizaram atos de bravura. Encontramos diversos desses relatos em praticamente qualquer livro da Bíblia. Hebreus 11 também nos dá uma lista de muitas dessas pessoas corajosas. “E que mais direi? Certamente me faltará o tempo para falar de Gideão, de Baraque, de Sansão, de Jefté, de Davi, de Samuel e dos profetas, os quais pela fé venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam a boca de leões, apagaram a força do fogo, escaparam ao fio da espada, da fraqueza tiraram forças, tornaram-se poderosos na batalha, puseram em fuga exércitos de estrangeiros.”4

A lista de homens corajosos neste capítulo dá dimensões mais amplas às origens da palavra “coragem”: seus corações estavam no lugar certo. Esses homens que realizaram feitos corajosos tinham algo maravilhoso em comum: a fonte de sua coragem

Um famoso relato bíblico conta que três hebreus receberam a ordem de adorar uma estátua de ouro ou serem jogados na fornalha. Contudo, ficaram firmes e disseram que não se prostrariam diante da estátua. Provavelmente acharam que aquela resposta ao rei irado seria suas últimas palavras:

“Ó rei, nós não vamos nos defender. Pois, se o nosso Deus, a quem adoramos, quiser, ele poderá nos salvar da fornalha e nos livrar do seu poder, ó rei. E mesmo que o nosso Deus não nos salve, o senhor pode ficar sabendo que não prestaremos culto ao seu deus, nem adoraremos a estátua de ouro que o senhor mandou fazer.”5

Li essa passagem na segurança da minha casa, a milhares de anos da cena, mas a intensidade do que eles acreditavam ainda reverbera nessas palavras; não existe nelas a mínima hesitação ou tentativa de negociar algo menos perigoso para eles. Mas, para se ter a coragem de enfrentar uma experiência assim, acho que precisamos recuar um pouco no tempo. Não acho que seus pais alguma vez tenham dito para eles “Olhem, um dia vocês vão ser levados à presença de um rei assustador, vai ter uma fornalha e vocês vão ter que escolher entre a vida ou adorarem um ídolo. Quando isso acontecer, lembrem-se de escolher a fornalha.”

Acredito que o que eles provavelmente disseram aos rapazes foi: “Amem o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todas as suas forças.”6 E: “O nome do Senhor é uma torre forte; os justos correm para ela e estão seguros.”7

Duvido que os pais de Sadraque, Mesaque e Abednego soubessem o que os esperava, ou quando e como iriam precisar demonstrar sua coragem, mas uma coisa sabiam eles que podiam fazer: alimentar o coração e o espírito de seus filhos. “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, pois dele procedem as saídas da vida.”8

Mesmo que hoje não enfrentemos perigos físicos ou situações difíceis do mesmo tipo, todos passamos por momentos de dificuldade emocional ou mental, precisamos de coragem moral para enfrentá-los a determinação para fazermos o que sabe ser certo. Penso que o que fazemos nesses momentos tem a ver com algo muito simples: o que temos armazenado em nossos corações determinará a força da nossa coragem.

Todo o mundo adora uma boa história de heróis. A coisa é que, na vida real, não podemos escolher ter oportunidade para um momento heroico espetacular — resgatar alguém ou de alguma forma salvar o dia — mas temos controle sobre o que colocamos no nosso coração. É assim que podemos estar preparados tanto para esses momentos heroicos como para os acontecimentos comuns da vida que requerem coragem.

1. Hebreus 11:37–38 CEB
2. http://www.etymonline.com/index.php?term=courage
3. http://www.merriam-webster.com/dictionary/courage?show=0andt=1305771775
4. Hebreus 11:32–34
5. Daniel 3:16–18 NTLH
6. Deuteronômio 6:5 NVI
7. Provérbios 18:10
8. Provérbios 4:23

Roald Watterson

Roald Watterson é editor e desenvolvedor de conteúdo.

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.