Precioso e discreto

Precioso e discreto

Tenho assistido ao seriado The X Factor, no qual cantores de todas as regiões dos Estados Unidos participam de uma grande competição de talentos, disputando um contrato de gravação multimilionário. Em cada episódio os jurados escolhem quem vai passar para o próximo nível da competição, com base no talento, claro. Mas procuram também alguém com uma característica específica, alguém que vai dar conta do recado.

A julgar pelos comentários que esses jurados fazem dos participantes, parece que as gravadoras não querem investir milhões de dólares em alguém que talvez seja fantástico por um momento e apresente um enorme talento, mas com quem não possam contar para realizar apresentações fabulosas e vender para as multidões. O show business é dureza, e os artistas que se destacam na multidão são aqueles com um desempenho excelente e constante.

É claro que não são só os artistas que precisam conquistar confiança.

John Wooden — considerado um dos maiores técnicos do basquete de todos os tempos — fala sobre alguns dos jogadores nos quais ele podia confiar, e o que isso significava para ele. Em seu livro, A Pirâmide do Sucesso do Treinador Wooden, ele escreveu, “Curtis Rowe foi um dos jogadores mais consistentes. Embora não fosse sempre espetacular, tinha um desempenho de alto nível constante e fazia parecer fácil. Eu podia praticamente marcar no quadro de estatística como seria seu desempenho no jogo antes mesmo de começar.”

Wooden comenta também o desempenho de outros de seus jogadores com relação a constância. “Dois dos meus melhores jogadores durante meados dos anos 1950 se destacaram por diferentes razões. Morrie Taft era espetacular e explosivo. Mas eu nunca sabia como ele ia jogar de um dia para o outro. Por outro lado, sabia que Dick ‘Skeets’ Banton daria conta do recado em cada jogo. Morrie [Taft] talvez fizesse cinco rebotes, mas eram memoráveis. Dick [Banton] fazia oito ou nove, mas ninguém notava muito. A maioria das pessoas dizia que [Morrie] Taft jogava melhor que [Dick] Banton, porque [Morrie] Taft tinha mais talento natural e era mais impressionante. Mas tendo a pensar que [Dick Banton] era o jogador mais valioso, porque podíamos contar com ele”.1

Aprendi que o mesmo se aplica ao meu ramo de trabalho. Às vezes, é preciso encontrar desenhistas para ilustrar artigos ou histórias para a pessoa que desenvolve o conteúdo para quem trabalho. Levo várias coisas em consideração quando escolho um artista para um trabalho, tais como, estilo de arte e, naturalmente, o nível do talento e habilidade artísticos. Mas o fator decisivo para mim, que pode parecer bastante sem graça, é a capacidade de cumprir os prazos de entrega.

Depois de ter assistido a alguns episódios de The X Factor e ter lido trechos do livro do técnico Wooden, comecei a notar esta qualidade em alguns personagens da Bíblia. Dos 50 milagres do Antigo Testamento listados no fim da minha Bíblia, cerca de um terço é atribuído a Elias. Fiquei surpreso ao perceber nos relatos bíblicos sobre esse profeta como sua obediência a Deus era rápida e constante. Deus o chamava e Elias se apresentava.

O dicionário define confiável da seguinte forma: “1. Fiável, de quem se pode depender: digno de confiança; 2. Resultado similar em sucessivas tentativas.” Esta segunda definição soa muito com o que Deus encontrou em Seu relacionamento com Elias. Deus lhe ordenou algo, e ele obedeceu. “A palavra do Senhor veio a Elias: Vá apresentar-se a Acabe, pois enviarei chuva sobre a terra. E Elias foi.”2 E este é apenas um dentre muitos versículos que refletem o tipo de relação que Deus e Elias tinham. Talvez só depois de Deus ver que podia confiar em Elias é que continuou a chamá-lo.

O técnico Wooden descreve as características de uma pessoa confiável da seguinte forma: “Quando somos confiáveis, outros sabem que podem depender de nós, que faremos o melhor que pudermos, não importa a situação. Sabem que não vamos sair correndo, nos acovardar ou paralisar com medo. Aprenderam a contar com a nossa constância e confiabilidade. Continuaremos ali, nos esforçando para fazer o melhor, mesmo depois dos mais fracos terem sumido.” Você tem gente assim na sua vida?—Pessoas com quem pode contar e que sabe vão ajudá-lo quando a vida ficar difícil?

Pessoas confiáveis são valorizadas em todo lugar. Pense nas poucas pessoas em sua vida que você considera confiáveis e escreva algumas maneiras pelas quais elas sempre aparecem quando você precisa desabafar ou seja o que for. Mas será que tal pessoa pode contar com você do mesmo jeito? Podemos amar o fato de que Deus é totalmente digno de confiança e que podemos sempre depender dEle, mas será que Deus também pode contar com a gente, de que vamos aparecer quando Ele chamar? Vale a pena pensar nisso.

1. John Wooden e Jay Carty, A Pirâmide do Sucesso do Treinador Wooden, Fundamentos para uma Vida Melhor (Bv Films, 2005), 114–115
2. 1 Reis 18:1–2 NVI

Roald Watterson

Roald Watterson é editor e desenvolvedor de conteúdo.

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.