Tesouro

Tesouro

A segunda metade do capítulo 6 do Evangelho segundo Mateus se concentra no nosso relacionamento com as coisas materiais. Jesus ensina as prioridades e atitudes certas com respeito aos bens materiais:

Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e furtam. Mas acumulem para vocês tesouros nos céus, onde a traça e a ferrugem não destroem, e onde os ladrões não arrombam nem furtam. Pois onde estiver o seu tesouro, aí também estará o seu coração.1

Na Palestina nos tempos de Jesus, era comum as pessoas guardarem seus valores (bens ou dinheiro) em um depósito, ou em algum tipo de caixa reforçada em casa,2 ou enterrada sob o assoalho ou em outro lugar.3 Os ricos se vestiam bem, já que a vestimenta era uma forma de patrimônio. Os metais preciosos podiam ser roubados, os tecidos finos estavam sujeitos à ação de traças e os grãos armazenados em celeiros, aos ataques de roedores. Com esses exemplos, Jesus demonstrou quão temporários e efêmeros são os bens terrenos, incapazes de nos seguir para a próxima vida.

Isso também foi ensinado no Antigo Testamento:

Não te canses para enriqueceres; dá de mão à tua própria sabedoria. Fitarás os olhos naquilo que não é nada? Porque certamente isso fará para si asas, e voará ao céu como a águia.4 As riquezas não duram para sempre.5

É importante entender o que Jesus está criticando ao dizer para não acumularmos tesouro na terra. Vamos começar por entender o que Ele não está reprovando. Ele não fala contra ter bens. As Escrituras não proíbem a propriedade privada. Economizar para um momento de dificuldades é uma boa prática. A Bíblia inclusive elogia as formigas por guardarem alimentos para o inverno,6 e censura os que não proveem para suas famílias.7 Também nos é dito para desfrutar as coisas que Deus criou.8 Portanto, Jesus não está ensinando contra a formação de um patrimônio, ter dinheiro, fazer provisões para o futuro e desfrutar das dádivas que Deus nos deu.

Então do que está falando? O escritor John Stott oferece a seguinte explicação:

O que Jesus proíbe é que Seus seguidores sejam egoístas ao acumular bens. (Não acumulem para vocês tesouros na terra); vida extravagante e luxuosa; a insensibilidade que cega para as necessidades colossais dos destituídos; a fantasia de que a vida consiste na abundância de bens; e o materialismo que ancora nossos corações à Terra. Portanto, “acumular tesouros na terra” não significa ser previdente (fazendo as provisões razoáveis para o futuro), mas diz respeito a ser sovina, ganancioso (como os avarentos e materialistas que sempre querem mais). Essa é a verdadeira armadilha sobre a qual Jesus adverte.9

Jesus não está falando contra bens materiais, mas contra o amor por esses bens, tornando o acúmulo deles o centro de sua vida e a fonte da sua alegria. O dinheiro não é maligno, mas “o amor pelo dinheiro é raiz de todos os males”.10

Muitas coisas devemos procurar ter, mas se o fizermos pelo motivo errado, não estaremos alinhados com os ensinamentos de Jesus. Se nos afastarem dos valores do reino de Deus, são os tesouros errados. Por isso é importante que nosso tesouro seja celestial e que procuremos diligentemente alinhar nossos corações e mentes com os valores de Deus. Como George Müller certa vez disse: “Depositar os tesouros no céu certamente atrairá nossos corações para lá.”

O apóstolo Paulo escreveu algo similar:

Portanto, se fostes ressuscitados com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra.11 Manda aos ricos deste mundo que não sejam altivos, nem ponham a esperança na incerteza das riquezas, mas em Deus, que abundantemente nos dá todas as coisas para delas gozarmos; que façam o bem, sejam ricos de boas obras, generosos em dar e prontos a repartir, que acumulem para si mesmos um bom fundamento para o futuro, para que possam alcançar a vida eterna.12

Jesus então passou a falar sobre não servir a dois senhores.

Ninguém pode servir a dois senhores. Ou há de odiar a um e amar o outro, ou se devotará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.13

A palavra grega traduzida para riquezas é mamōnas. Dependendo da versão da tradução da Bíblia, encontra-se Mamom, dinheiro ou riquezas. Jesus ensina que os crentes não podem servir a Deus e às riquezas. Com isso, ensinou que nosso amor, lealdade e devoção a Deus devem ser superiores ao nosso interesse pelas coisas materiais. Devemos confiar em Deus, não nos recursos financeiros e bens materiais. Não há nada de errado com o dinheiro propriamente dito, mas é errado nos deixarmos submeter a ele.

1. Mateus 6:19–21
2. Veja Mateus 13:52.
3. Veja Mateus 13:44.
4. Provérbios 23:4–5
5. Provérbios 27:24
6. Veja Provérbios 6:6–8.
7. Veja 1 Timóteo 5:8.
8. Veja Eclesiastes 3:13; 1 Timóteo 4:4.
9. Stott, The Message of the Sermon on the Mount, 155.
10. 1 Timóteo 6:10
11. Colossenses 3:1–2
12. 1 Timóteo 6:17–19
13. Mateus 6:24

Peter Amsterdam

Peter Amsterdam

Peter Amsterdam participa ativamente do serviço cristão desde 1971. Em 1995, tornou-se diretor (junto com sua esposa, Maria Fontaine) da comunidade cristã conhecida como A Família Internacional. É autor de diversos artigos de teologia e sobre a fé. (Os textos escritos por Peter Amsterdam usados na Contato são adaptações.)

Copyright 2021 © Activated. All rights reserved.